in

As tendências que irão impactar o retalho e as marcas em 2020

Foto Shutterstock

2020 irá representar um ponto de inflexão quanto às questões de confiança e transparência, revela um novo estudo da Nielsen, sobre as tendências tecnológicas que irão impactar o retalho em 2020.

A preocupações quanto às questões de privacidade e má informação irão ameaçar a credibilidade das marcas. Os grandes operadores de retalho e marcas de grande consumi irão ter de confrontar e contrariar as consequências dos ataques nas redes sociais, numa altura em que a transparência se converte na moeda de troca do futuro.

Para ganhar o mercado global, os fabricantes irão produzir localmente. Com o impacto dual das tarifas e a preferência dos consumidores pela produção local e redução do desperdício, os fabricantes irão enfrentar uma pressão adicional para reduzir as importações. As cadeias de abastecimento continuarão a ser realinhadas para responder ao crescente desejo dos consumidores por produtos sustentáveis.

Cadeias de abastecimento inteligentes terão de antecipar e reagir às expectativas dos consumidores. Com os retalhistas cada vez mais apostados em ter o controlo da cadeia de valor de montante a jusante e o crescimento das marcas próprias, a indústria terá de gradualmente evoluir para cadeias mais granulares. As marcas e retalhistas serão bem-sucedidas não com base nos preços e promoções, mas pela informação que recolhem da sua cadeia de abastecimento.

Em 2020, o 5G irá revolucionar a Internet das Coisas para o retalho, tornando-a “mainstream” e oferecendo ao consumidor final o acesso a mais dados em tempo real. Isto significa que os consumidores serão menos limitados pela sua capacidade para tomar decisões informadas sobre os retalhistas e marcas. De igual modo, o 5G irá transformar o packaging inteligente e as aplicações de entrega através de sensores que podem recolher informação em tempo real e assegurar as condições ideais de transporte.

O tempo e a confiança irão ditar as relações entre o consumidor e o retalho. Das lojas pop-up aos pagamentos digitais e armazéns automatizados em centros urbanos, a velocidade e a conveniência irão ditar o comportamento do consumidor.

Finalmente, a opção de testar antes de comprar irá ganhar um novo impulso graças à realidade aumentada e ao 5G. “O início da nova década coincidirá com a aceleração da utilização prática de muitas tecnologias emergentes“, afirma Jeanne Danubio, presidente da Nielsen Connect North America. “Do efeito transformativo do 5G às exigências de um comércio sem fricções, potenciados pela confiança e transparência, o panorama de consumo irá ganhar complexidade“.

Publicidade

Português assume vice-presidência da Mystery Shopping Professionals Association Europa-África

Subway lança opções vegan e sem glúten