in

As 5 tendências no consumo alimentar em Portugal

Imagem Shutterstock

Grande Consumo - Branded Content

 

O consumo de produtos sofre alterações com o tempo e, no consumo alimentar, isso é também uma realidade. Conheça as cinco tendências do consumo alimentar português neste momento.

Os hábitos de consumo alimentar internacionais estão a alterar-se e, com eles, também os hábitos dos portugueses.

Acompanhando as principais tendências de consumo, o mercado tem vindo a adaptar-se e a digitalizar-se e, por isso, no que diz respeito aos bens alimentares, temos notado a tendência para que as grandes marcas passem a existir, também, no meio online e, simultaneamente, que novas lojas online vocacionadas para a venda deste tipo de produtos se tornem mais comuns.

Para apoiar o trabalho deste tipo de lojas, existem na Internet várias extensões do Google Chrome, para download, que ajudam nos processos de gestão das empresas digitais.

À medida que novas ferramentas surgem, para acompanhar as tendências do consumidor, começamos a perceber que a tendência no consumo alimentar pode ser enumerada com base nalgumas das ações mais comuns do comprador face aos produtos alimentares.

Hoje, apresentamos 5 formas de ação dos portugueses face ao consumo que são, atualmente, tendências. Vamos conhecê-las.

 

  1. Conveniência

As compras online estão a tornar-se cada vez mais comuns e o consumo online de alimentos é, hoje, uma realidade. Além de estar ancorado nos hábitos das gerações digitais (como os Millennials e a Geração Z), este processo prende-se, também, com o desejo de consumir de uma forma conveniente.

As compras convenientes são, fundamentalmente, aquelas que podem ser feitas sem que se imprima um grande esforço no processo e de forma rápida, sendo a Internet o meio que melhor dá resposta a esta necessidade.

Assim, com a intenção de reduzir o tempo de consumo, este tipo de comprador prefere as opções de delivery e as compras online, privilegiando a consistência do serviço das lojas às quais recorre para fazer as suas compras.

 

  1. Confiança

Apesar da necessidade do consumo rápido e do grande imediatismo deste processo, o consumidor português de produtos alimentares também valoriza o processo de produção dos alimentos que consome, mantendo-se atento às empresas que produzem os alimentos que ingere.

O estabelecer da confiança prende-se fortemente com questões ambientais, já que o consumidor atual está cada vez mais consciente da sua responsabilidade social, privilegiando as empresas que demonstram uma preocupação com o seu impacto ambiental e social.

Preocupados em conhecer as preocupações das empresas junto das quais fazem as suas compras, estes clientes valorizam aspetos como a sustentabilidade, a consistência, a transparência e a solidariedade social.

Um estudo de 2015 já revelava que cerca de 66% dos consumidores não se importam de pagar mais pelos produtos, desde que estes sejam melhores opções para o ambiente e a sociedade.

 

  1. Bem-estar e saúde

A tendência fit chegou também ao mercado da alimentação e, mais do que nunca, as pessoas procuram consumir os produtos com os quais mais se identificam, por serem benéficos para a sua saúde.

O aumento na compra de alguns produtos orgânicos e biológicos é demonstrativo, por si só, desta nova tendência de consumo internacional, que tem, também, marcado os hábitos portugueses.

Mais conscientes do que nunca do papel da alimentação para uma vida saudável, os consumidores portugueses estão a privilegiar a sua qualidade de vida, aplicando alguns princípios relacionados com esta prioridade no momento de escolher os produtos. Assim, existe também uma disposição para pagar mais por produtos que considerem que possam ser benéficos para a sua saúde. Nesta sequência, a tendência é para uma maior segmentação no consumo, evitando-se os tipos de alimentos que estão associados a determinadas patologias, para um aumento do consumo dos alimentos propostos em dietas saudáveis e restritivas; para a busca por alimentos provenientes da agricultura biológica e também dos alimentos cujas propriedades são referidas como benéficas para a saúde humana.

 

  1. Compra ponderada

Outro dos hábitos de consumo que os portugueses aplicam cada vez mais é o da compra ponderada. Na verdade, cerca de 75% dos portugueses afirmam que consultam os folhetos e fazem a sua comparação antes de ir ao supermercado.

Este planeamento visa uma escolha ponderada dos melhores produtos pelos melhores preços, dando resposta a uma necessidade de poupança (ancorada nas dificuldades económicas e visando o menor gasto possível), sem abdicar de todos os elementos e tendências já referidos (alimentos sustentáveis, saudáveis e fáceis de encontrar).

Encontramos, assim, hoje, um consumidor com uma atitude mais ativa, refletida e participativa, que demonstra um maior grau de exigência no momento do seu consumo.

 

  1. Experiência

Por fim, uma das tendências do consumo alimentar é a experiência. Isto significa que, mais do que desejar consumir algo pelo produto em si, os portugueses estão à procura de produtos que tenham um significado e que, a longo prazo, criem boas memórias.

Elementos como o prazer podem ser equacionados no momento de comprar os produtos alimentares, sendo este um dos fatores que aumenta o valor de um artigo aos olhos do consumidor.

Publicidade

Vinho

Segunda série de “Ligados pelo Vinho” no Spotify

Men Expert

Men Expert com nova campanha local