in

Altera-se a reação à reabertura das grandes superfícies comerciais

grandes superfícies comerciais

Com a aproximação da nova fase de desconfinamento, verificou-se uma alteração de tendência na reação dos portugueses à reabertura das grandes superfícies comerciais, notando-se agora um aumento da confiança na frequência desses espaços.

De acordo com a Marktest, apesar de serem ainda em maior número os que afirmam que não pensam ir às grandes superfícies tão cedo, porque o risco ainda é muito elevado, a percentagem diminuiu cerca de 11 pontos pertcentuais (p.p), de 52% para 41,1%. Em sentido contrário, aumentaram os que referem que irão a esses espaços porque acreditam que, se vão abrir, é porque é seguro: mais 6,2 p.p. (de 12,2% para 18.4%). Também os que vão avaliar, na altura, se será seguro ou não deslocar-se até essas lojas aumentaram 2,2 p.p. (de 23,4% para 25,6%).

 

Variáveis sociodemográficas

Analisando os resultados por variáveis sociodemográficas, e considerando o acumulado das duas semanas, verificam-se diferenças quer em termos de género, quer de idade. Entre os que revelam maior confiança e afirmam que irão às grandes superfícies destacam-se os homens e os inquiridos mais velhos, dos 55 aos 74 anos. Também entre os que vão avaliar se será ou não seguro, os valores são superiores no sexo masculino, embora aqui sejam os mais novos a destacar-se – 15 a 34 anos. Já entre os que referem que não irão tão cedo, são as mulheres que registam uma percentagem superior, bem como os inquiridos dos 35 aos 44 anos.

IVDP

IVDP lança vídeo de homenagem ao Douro

MO

MO reabre cerca de 110 lojas