in ,

Alibaba apresenta a sua visão da loja de mobiliário do futuro

A Home Times, uma loja de móveis apoiada pela tecnologia do grupo Alibaba, abriu na cidade chinesa de Hangzhou. Atraindo entre 1.500 a 3.000 visitantes diários desde a abertura, a loja de móveis é outro exemplo do novo modelo de retalho da Alibaba.

Nos últimos meses, a empresa expandiu esse modelo para uma variedade de sectores, seguindo o sucesso dos supermercados Hema, que demonstraram como a análise e a tecnologia podem transformar lojas tradicionais numa experiência de cliente online-offline contínua.

Mais de 20.000 itens estão disponíveis para compra na Home Times, incluindo móveis, utensílios de cozinha, decoração, artigos de papelaria e itens essenciais de viagem, a maioria dos quais originários de vendedores que já fazem negócio através da plataforma de compras B2C da Alibaba, a Tmall.

Para fazer as compras, basta ter o smartphone na mão. Os clientes digitalizam o código QR de cada item com os seus smartphones para ver o nome do produto, preço, descrição e fazer a compra instantânea com o serviço de pagamento móvel da Alibaba, o Alipay. “Temos o hardware e o know-how para construir novas lojas orientadas para o retalho e trabalhamos com parceiros que têm acesso a canais offline e conhecimentos especializados na operação de lojas físicas“, afirma William Chen, que lidera o projeto Home Times na divisão Cloud Retail da Alibaba. “Nós fornecemos a tecnologia e o conjunto de ‘insights’ do consumidor da Tmall“.

A Tmall analisa o comportamento e as preferências dos utilizadores dentro de um raio de pouco mais de oito quilómetros da loja. Os produtos são selecionados a partir das categorias preferidas dos utilizadores e adicionados às prateleiras da loja. Este sistema reduz o tempo necessário para fornecer produtos de todo o mundo aos retalhistas tradicionais para até um único dia, enquanto as ofertas da loja mudarão a cada 10 a 15 dias.

Cada produto tem uma etiqueta eletrónica que pode sincronizar automaticamente os preços com os mais recentes vistos online, removendo a necessidade do pessoal imprimir e substituir manualmente os rótulos. Grandes ecrãs na parede permitem que os clientes vejam os seus móveis e decoração desejados numa configuração doméstica virtual, o que também indica que a Home Times requer muito menos espaço de exposição, em comparação com vendedores de móveis tradicionais, já que os produtos podem ser exibidos virtualmente.

A Home Times vai abrir duas novas lojas em Hangzhou até o final de 2017, incluindo uma no centro comercial In77, no distrito empresarial de Hubin, e outra numa localização ainda incerta, em West Hangzhou. Prevê ainda abrir 15 a 20 novas lojas em 2018.

Publicidade

Vizinhos entregam as compras de vizinhos

Lidl lança um vinho que promete não causar ressaca