in

Aldi oferece apartamentos em cima das suas lojas aos estudantes de Berlim

O Aldi tornou-se o mais recente “player” da indústria a perceber que colocar apartamentos em cima dos seus supermercados pode ajudar a facilitar o processo de construção de novas lojas maiores em cidades lotadas.

A divisão Aldi Nord está a trabalhar com as autoridades de Berlim para construir mais de 2.000 apartamentos em cima das suas lojas, na capital alemã, onde a escassez de habitação causou uma subida de preços. Alguns dos apartamentos podem ser reservados para estudantes ou habitação social, o que pode ajudar a persuadir as autoridade da cidade a dar luz verde aos projetos de construção. “Queremos construir grandes lojas e nem sempre se obtém o espaço necessário para as mesmas“, afirma a porta-voz do Aldi Nord, Serra Schlesinger. “Em áreas de alta densidade populacional, a cidade tem interesse em habitações económicas“.

No Reino Unido, as cadeias de supermercados já há muito tempo que constroem as  lojas com apartamentos em cima e o próprio Lidl, grande concorrente do Aldi, tem pelo menos dois projetos semelhantes em Berlim. Seera Schlesinger recusa-se a divulgar o orçamento para o projeto do Aldi, mas as despesas somam-se a um processo de modernização de 5,2 mil milhões de euros, envolvendo a remodelação de 4.800 lojas em toda a Europa.

O Aldi tem planos para um projeto de apartamentos semelhante em Hamburgo, com 14 habitações, uma dimensão bem mais reduzida que a dos edifícios de Berlim: os dois primeiros, em conjunto, terão até 200 habitações. A empresa planeia manter a propriedade dos apartamentos e alugá-los, privilegiando a garantia do espaço da loja face aos lucros com as rendas. Cerca de 30% dos apartamentos serão alugados a 6,50 euros por metro quadrado, equivalente à tarifa atual para habitação social, excluindo custos de aquecimento, disse o Aldi. O resto terá um preço de 10 euros por metro quadrado.

Publicidade

Escândalo da salmonela custa à Lactalis centenas de milhões de euros

Lucros da Unilever crescem 16,8%