in

Adega Ponte da Barca e Arcos de Valdevez lança vinho em lata certificado nas versões branco e rosé

A elevada apetência pelos vinhos portugueses chega de muitos países, nomeadamente, Brasil, Rússia e Estados Unidos da América. Foram os parceiros destes mercados que impulsionaram a Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez a desenvolver o seu novo produto: o vinho em lata na marca 80’S.

A adega, que iniciou este projeto em outubro de 2019, entra na corrida do vinho em lata com duas grandes novidades face ao que está a surgir no mercado. Aposta num vinho certificado com Indicação Geográfica Minho e em duas versões, branco e rosé.

 

Exportação

Em 2020, a Adega Ponte da Barca e Arcos de Valdevez cresceu em vendas 20%, muito à custa da exportação, que representa já 68% do seu negócio. Grande parte desta evolução deve-se a novos negócios com redes de distribuição na Rússia, Brasil e Estados unidos e, mais recentemente, México, Ucrânia e Cazaquistão. Foi com alguns destes clientes que a adega iniciou, em outubro de 2019, o projeto de enlatar vinho. “Em 2020, o departamento de enologia e inovação efetuou vários ensaios de enlatamento, com provas sensoriais e análises laboratoriais, ao longo de um ano, para percebermos o comportamento do vinho nesta embalagem. Ao mesmo tempo, procuramos escolher um perfil de vinho adequado ao público-alvo, jovens urbanos das gerações Millennial e Z, estimulando novas ocasiões de consumo”, afirma José Oliveira, diretor geral e responsável de enologia da adega.

Por sua vez, Bruno Almeida, diretor de marketing, inovação & ID da cooperativa, aproveita para recordar que “o vinho em lata é hoje um dos segmentos de mercado que mais cresce na indústria do vinho, algumas estimativas apontam para 70% ao ano. Esta embalagem oferece uma nova forma de se apreciar o vinho, mais conveniente e portátil, atraindo consumidores de outras bebidas. Os vinhos leves, frescos e aromáticos do Minho são os produtos ideais para ir ao encontro do que mercado mundial procura nesta nova bebida. A nossa adega queria estar nesta corrida”.

 

80’s

O produto que chega agora ao mercado, nas versões branco e rosé, é lançado numa das marcas mais recentes da adega: 80’S. Esta marca, concetualizada em 2019 e presente em vários países, pretende ser uma celebração aos anos 80, trazendo toda a irreverência e a diversidade musical dessa década para a contemporaneidade. Os rótulos têm um tom de modernidade e juventude e querem exibir-se nos festivais de verão, nos piqueniques de família e na areia da praia. Faltava-lhes um packaging mais leve e uma abertura fácil, que dispensa saca-rolhas e copos: a lata.

A Adega Ponte da Barca e Arcos de Valdevez é uma das primeiras marcas portuguesas a lançar um vinho certificado em lata. Esta certificação comprova que o vinho é sujeito a um controlo rigoroso de todas as fases da produção, desde a vinha até à prateleira.

As latas começam agora a ser comercializadas, em caixas de 24 unidades destinadas à distribuição, em embalagens de quatro unidades, ou individualmente, ao consumidor final.

O PVP recomendado é de 1,49 euros.

 

Vantagens da lata

A embalagem escolhida é uma lata de alumínio, específica para vinhos, que dá garantias de manter toda a frescura e os aromas expressivos da bebida. Do ponto de vista ambiental, a utilização da lata traz ganhos em comparação com o vidro, quer ao nível da reciclagem (o alumínio é infinitamente reciclável depois de extraído da natureza), quer ao nível do transporte, pois sendo é muito mais leve.

Publicidade

e-commerce

Vendas online valem um quarto do comércio mundial

Armazém

Europa precisa de mais 1,7 milhões de metros quadrados de armazenamento para lidar com aumento de devoluções online