in ,

73% dos consumidores concordam que as experiências imersivas são o futuro

Com a sociedade a mover-se para experiências sobre bens materiais, a procura por experiências imersivas está a aumentar, o que resulta na tecnologia a ser utilizada através de formas inovadoras para as marcas se conectarem com o público.

Estudos recentes demonstram que essas experiências são o caminho para chegar ao coração dos consumidores. Mais de dois terços (73% da amostra portuguesa deste estudo) acreditam que o experiencialismo, onde projeções em grande escala, displays interativos, hologramas, realidade virtual ou realidade aumentada, se tornarão no futuro dos eventos. Isto está a criar uma necessidade nas empresas para adotarem o experiencialismo, com o objetivo de se conectarem melhor com os consumidores de hoje e se prepararem para ser bem-sucedidas, especialmente, junto do público mais jovem.

Estes factos abrem uma nova oportunidade para as empresas de retalho, e não só, começarem a aproveitar o poder do experiencialismo. Desde vídeo mapping e projeção, a hologramas, ao controlo por gestos, tracking facial e de movimento, as tecnologias imersivas podem ser usadas pelas marcas para proporcionar experiências únicas que surpreendem e aprofundam o relacionamento cliente/marca.

O estudo europeu, levado a cabo pela Epson, intitulado “O futuro experiencial”, destaca a importância de elementos imersivos e experienciais para o futuro de eventos e experiências, nas áreas do turismo, lazer e retalho, não apenas para 78% dos Millennials, mas também para inquiridos de gerações anteriores. Quase sete em cada 10 consumidores da Geração X (75%) concordam que a experiência é o futuro dos eventos, juntamente com 74% dos Baby Boomers e 63% da Geração Z.+

As descobertas mostram um claro incentivo financeiro para as empresas cumprirem essas expectativas, dado que 65% dos Millennials concordam que estariam dispostos a pagar mais por um bilhete com um elemento experimental, seguidos por 59% da Geração X, 52% da Geração Z e 52% dos Baby Boomers.

O experiencialismo será crucial para pontos de atração e empresas de turismo e retalho, não apenas para atrair novos consumidores, mas também para incentivar a repetição de visitas e compras. Cerca de dois terços (64%) dos Millennials revisitariam um evento experimental, assim como a Geração X (65%) e mais de metade da Geração Z (56%) e Baby Boomers (59%), demonstrando que as tecnologias experimentais ajudam a impulsionar os clientes a repetir visitas. “As novas tecnologias estão a mudar drasticamente a maneira como as marcas se envolvem, entretêm e comunicam com seus públicos. A nossa pesquisa cria um forte ‘call to action’ para que as empresas se concentrem na inclusão de elementos experienciais para os consumidores. Caso contrário, correm o risco de alienar e perder clientes, que podem recorrer a marcas concorrentes e outros eventos em busca de experiências superiores”, comenta Neil Colquhoun, vice-presidente da CISMEA e Professional Display da Epson Europe B.V.

Publicidade

Publicidade

O Boticário lança perfumes criados com a ajuda de inteligência artificial

Mercado de produtos óticos cresce 2% em Portugal