in

58% dos portugueses recorrem ao car sharing para poupar dinheiro

A opção pelo car sharing é fortemente marcada pelas questões económicas, quer no caso do passageiro ou do motorista. Para 51% dos passageiros, a principal motivação para aderir a esta forma de mobilidade é a redução de custos, motivo partilhado por 44% dos condutores. A dimensão ecológica vem em segundo lugar para ambos: 35% passageiros e 38% nos condutores.

África do Sul, Turquia e Brasil têm o maior número de passageiros e motoristas que fazem partilha de automóvel por razões económicas. Por outro lado, os alemães e, principalmente, os japoneses não estão incluídos nessas considerações.

A dimensão geracional revela uma divergência igualmente profunda. A Geração Y (57%) é muito mais propensa do que os mais velhos (41%) a considerar a partilha do automóvel para ganhar dinheiro. Já os inquiridos mais velhos são mais propensos a indicar questões ambientais.

No entanto, o aspeto social da partilha de automóvel também é claramente sublinhado pela Geração Y (18%), quer se trate de passageiros ou de condutores. Por outro lado, não existe uma grande diferença entre os habitantes das áreas urbanas e os das áreas rurais. As razões para a partilha de automóvel são quase idênticas, tendo como prioridade a questão económica.

A partilha de automóvel em Portugal

No caso nacional, também a parte económica é predominante. No caso dos condutores, a maioria dos nacionais refere a possibilidade de ganhar dinheiro (51%), preocupações ambientais (42%) ou ajudar outras pessoas (31%).

Já para os passageiros, e à semelhança das percentagens globais, o principal motivo é a possibilidade de poupar dinheiro (58%), seguido de motivos ambientais (40).

Questionados sobre a possibilidade de partilharem o seu veículo com uma empresa privada, 26% dos portugueses estaria disposto a fazê-lo até sete vezes por mês, tendo como principal motivação a possibilidade de ganhar dinheiro (41%). Já entre os que indicam não querer fazê-lo, 22% refere que leva muito tempo a gerir.

Publicidade

Publicidade

Alterações na Baixa Chiado podem impulsionar comércio de rua

Esporão apoia a campanha Agroambientais sem Glifosato/Herbicidas