Redes sociais
Foto Bloomicon/Shutterstock.com
in

55% dos portugueses que utilizam redes sociais segue marcas ou empresas

O hábito de seguir marcas ou empresas através das redes sociais está bastante generalizado entre os portugueses com perfil criado nestas plataformas. Segundo os dados da edição deste ano do estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais”, produzido pela Marktest, 55,1% dos utilizadores de redes sociais em Portugal assume acompanhar a atividade de marcas e empresas, o que representa um acréscimo de 3,5 pontos percentuais face aos dados de 2020.

Este crescimento verifica-se ainda noutro indicador do estudo da Marktest: em média, os inquiridos referem seguir 30 entidades, entre empresas, instituições, marcas e grupos de interesse. Ou seja, na comparação com as conclusões de 2020, os utilizadores de redes sociais em Portugal seguem agora, em média, mais seis entidades do que no ano passado.

 

Instagram em crescimento

O Facebook continua a ser a rede mais relevante para seguir marcas nas redes sociais, mas tem perdido quota para o Instagram. Enquanto o número de referências ao uso do Facebook para seguir marcas ou empresas recuou de 83,5% para 78,1%, entre 2020 e 2021, no Instagram esse indicador cresceu de 55,4% para 65,8%.

Este cenário é ainda mais evidente entre os mais jovens, onde o Instagram é já a rede mais referida para este efeito, com níveis de 72,7%, entre os 15 e os 24 anos, e de 76%, entre os 25 e os 34 anos.

No que respeita às atividades mais seguidas, o sector da restauração e culinária é aquele que atrai mais fãs nas redes sociais, com um total de 56% de referências por parte dos inquiridos.

No top 3 de marcas mais seguidas pelos utilizadores de redes sociais em Portugal surgem duas insígnias de drande distribuição: o Continente, indicado por 16,7% dos seguidores de marcas ou empresas nas redes sociais, e o Lidl, com 10% de referências. A Nike, com 9,1%, é a marca que fecha o pódio.

Vale dos Barris

Adega de Palmela assinala 25 anos de marca Vale dos Barris

Natal

85% dos portugueses vai fazer as suas compras de Natal nos centros comerciais