in

45% dos consumidores acreditam que são inadequadamente refletidos na publicidade

45% dos consumidores em todo o mundo acreditam que as mulheres são inadequadamente representadas na publicidade, de acordo com o relatório global da Kantar Millward Brown “AdReaction, Getting Gender Right”.

Como o relatório explica, ao não retratar e não abordar as mulheres da forma adequada, o sector de publicidade está a perder, a nível mundial, uma média de nove mil milhões de dólares em valorização de marcas. De acordo com o estudo, as marcas equilibradas em função do género valem mais, com um valor médio de 20.600 milhões de dólares, em comparação com 16.100 milhões de dólares das marcas com viés feminino e 11.500 milhões de dólares de marcas com viés masculino.

Além disso, quando ambos os sexos aparecem em anúncios, os homens são 38% mais propensos a ocupar a posição de destaque do que as mulheres. De facto, numa análise realizada das campanhas vencedoras em Cannes, na última década, observa-se que os homens falam sete vezes mais que as mulheres, aparecem no ecrã quatro vezes mais e são 62% mais propensos a serem retratados como inteligentes.

Por outro lado, o relatório destaca que as representações de género na publicidade ainda são estereotipadas e a maioria dos anúncios mostra mulheres em papéis “agradáveis” ou “afetuosos”. Apenas 6% incluem uma personagem feminina “autoritária”, embora este último papel funcione melhor que outros nos anúncios.

O estudo conclui analisando que a criação de anúncios baseados em género é “menos necessária do que se acreditava tradicionalmente“, já que não há diferença tangível na resposta aos anúncios segundo o género. “Bons anúncios tendem a ser bons para todos e os maus são maus para todos, independentemente do género que se quer impactar“, diz Kantar Millward Brown.

Publicidade

Publicidade

Quinta dos Murças lança colheitas de 2018 do Assobio Rosé e Branco

Ferrero na corrida para a compra da marca de bolachas Arnott’s