Consumo
Foto Shutterstock
in

39% dos portugueses confia nos selos e certificações ambientais

Nos dias de hoje, muitos são os consumidores portugueses que procuram, cada vez mais, por produtos e marcas sustentáveis. Neste contexto, a presença de selos e certificados ambientais neste tipo de produtos aparenta ser essencial para que consigam avaliar as marcas no que respeita ao seu desempenho ambiental e para tornar os produtos mais confiáveis.

Tendo em conta o estudo “Observador Cetelem Consumo Sustentável 2022”, 39% dos entrevistados confia nos selos e certificações ambientais, sendo os inquiridos dos 18 aos 34 anos aqueles que demonstram ter mais confiança nos mesmos (45,5% em média). Por outro lado, os indivíduos a partir dos 54 anos são os que aparentam confiar menos neste tipo de reconhecimento (28% em média).

Além de considerarem importante que o selo de certificação (34%) conste no produto, os inquiridos consideram ser igualmente relevante constar a informação sobre materiais (23%) e a indicação da sua durabilidade (15%). Os inquiridos que residem na região sul do país são os que mais consideram a informação sobre a durabilidade fundamental (26%), ao contrário dos entrevistados da região norte e centro (9% respetivamente).

 

Produtos sustentáveis

Relativamente à informação que se encontra presente nos produtos sustentáveis, mais de metade (56%) avalia a informação como sendo média. Já 20% dos consumidores portugueses considera a informação presente nos produtos sustentáveis como sendo boa e 18% diz que é má, sendo os inquiridos mais velhos dos 55 aos 74 anos os que fazem uma avaliação mais negativa (28,5% em média).

Além da composição e durabilidade, os inquiridos que fazem uma avaliação mais negativa dizem fazê-lo também porque, muitas vezes, os produtos sustentáveis não contêm informações sobre a origem (42%) e sobre como são produzidos (27%).

Adega de Monção

Adega de Monção lança Alvarinho em lata

Black Friday

Fnac e Doutor Finanças unem-se para ajudar os portugueses a poupar na Black Friday