in

2019 será o ano do vegan

2019 será o ano do vegan, de acordo com o The Economist. A previsão baseia-se nos dados de crescimento do veganismo e no interesse das pessoas, mas da geração Millennial de uma forma particular, por um estilo de vida onde se evite o consumo de carne e de qualquer produto de origem animal.

25% dos norte-americanos entre 25 e 34 anos asseguram que são vegan ou vegetarianos, um valor bem acima do verificado em 2015, quando os resultados mostravam que 3,4% era vegetariano e apenas 0,4% era vegan.

Este interesse crescente está a ter reflexos também no sector da restauração. De acordo com a consultora Foodable Labs, mais de 50% dos chefs norte-americanos acrescentaram pratos vegan às suas cartas.

As mudanças estão também a acontecer na Europa, onde empresas como a Beyond Meat, dedicadas à elaboração de alternativas à carne 100% vegetais, já deram a conhecer os planos para que os seus produtos cheguem a 50 mercados mundiais. Várias cadeias de supermercados, como a Tesco, no Reino Unido, começaram já a comercializar a “carne vegan”.

O The Economist considera que, se a tendência se afirmar, será transformadora na melhoria das dietas ricas em proteína dos consumidores ocidentais, na redução da pegada ambiental da criação de animais e, até mesmo, na diminuição dos custos com os alimentos nos países mais pobres.

Recheio quer protagonizar regresso da Jerónimo Martins ao Brasil

Portugal encoraja a devolução de garrafas de plástico