in ,

Cidade do Reino Unido nomeada a capital do café da Europa

Foto Shutterstock

A retalhista europeia Selecta compilou um Índice Europeu do Café, onde nomeia Edimburgo, no Reino Unido, como a capital do café da Europa.

Para compilar o índice, a Selecta analisou vários dados, incluindo o preço do café, a qualidade dos cafés, o número de estabelecimentos que vendem café, quantos tinham Wi-Fi, o interesse de pesquisa no Google por “café” e as importações de café proporcionalmente ao mercado interno.

Amsterdão, na Holanda, ficou em segundo lugar, Florença, em Itália, em terceiro, Dublin, na Irlanda, em quarto e Antuérpia, na Bélgica, em quinto na lista. Milão, cidade frequentemente apelidada de capital do café da Europa, ficou em 17.º.

Usando como referência o preço do café em cada cidade, a Selecta diz que Zurique, na Suíça, serve o café mais acessível em comparação com as condições salariais locais. A Grécia ficou em último lugar em termos de acessibilidade, com um único café a representar 15% do salário médio diário em Salonica.

Para descobrir o interesse do consumidor pelo café, a Selecta analisou os volumes de pesquisa no Google por “café” em inglês e no idioma nativo do país. As pessoas de Amsterdão são as mais interessadas em café, enquanto as de Minsk, Bielorrússia, as menos interessadas.

Usando o Google Maps, a Selecta obteve as avaliações médias dos estabelecimentos que vendem café de cada cidade. Cluj-Napoca e Bucareste, na Roménia, ficaram no topo. Milão terminou em último com as piores críticas médias para os seus cafés.

A Itália também teve quatro cidades entre as 10 melhores pelo número de estabelecimentos per capita. No entanto, Edimburgo tem o maior número de estabelecimentos e o maior número com Wi-Fi gratuito.

A Selecta também tentou determinar qual país consome mais café com relação a diferentes fatores. Proporcionalmente ao PIB, a Bósnia foi o que mais gastou na importação de café. Por população, a Bélgica liderou a lista.

Publicidade

Publicidade

Lidl adquire energia elétrica exclusivamente a partir de fontes 100% renováveis

Nova campanha oferece um ano de Guinness