in

Zolve adquire totalidade da Transportes Garcia Villalobos

Holding do grupo espanhol Logifrio

A Zolve – Logística e Transporte chegou a acordo com a família García Villalobos que, após mais de 40 anos na liderança do projeto Logifrio, resolveu alienar a sua participação na empresa.

Durante todos estes anos, sempre senti a força e o entusiasmo para empreender, arriscar e aventurar-me neste apaixonante mundo da logística. Foram anos maravilhosos vendo o nascimento, crescimento e consolidação do Grupo Logifrio, que sempre levarei no coração por tudo o que me deu. Acredito que chegou o momento de uma mudança. Este foi um processo cuidadosamente planeado, ao longo dos últimos anos. A empresa precisa de continuar a avançar num mercado cada vez mais exigente e competitivo. Simultaneamente, deve enfrentar as principais mudanças na sociedade, colocando o seu foco na transformação digital, não apenas como questões tecnológicas ou de processo, mas também como um fenómeno que afeta diretamente pessoas e cultura da empresa e exige novas formas de gestão; num maior compromisso com o meio ambiente e na melhoria contínua da responsabilidade social da empresa. É importante que as empresas trabalhem nestas estratégias para se adaptarem rapidamente às necessidades do mercado. Desta forma, consideramos que juntar a Logifrio e a Zolve, com uma equipa de gestão experiente, permite enfrentar estes desafios com energia, garantindo um melhor serviço aos nossos clientes e um futuro forte para os nossos colaboradores“, comenta Fernando Garcia Villalobos, fundador da Logifrio.

 

Gestão

Paralelamente, Alberto Sancho e Rosa Martínez, diretor geral e diretora de rede do grupo Logifrio, respetivamente, adquiriram uma participação na Zolve, que se tornará na empresa-mãe de todo o grupo para Espanha e Portugal. Além de manterem seus cargos atuais, os dois gerentes passam a integrar o conselho de administração da Zolve. “Esta é uma operação entre empresas robustas, que se conhecem bem e que colaboram há muito tempo. Acima de tudo, é uma operação entre empresas que partilham a mesma cultura e que têm como pilares a promoção de relações sólidas e duradouras, um alto nível de serviço, uma comunicação fluiida e uma atitude geradora de valor acrescentado para os clientes. Unir a Zolve e a Logifrio no mesmo grupo é um projeto muito ambicioso, que vai permitir um maior crescimento integrado com uma abordagem ibérica e uma maior massa crítica para desenvolver projetos inovadores que irão beneficiar o mercado em geral”, complementa Alberto Sancho, diretor geral da Logifrio.

A operação de Management Buyout (MBO) de Alberto Sancho e Rosa Martínez segue-se a outra semelhante realizada por Vitor Figueiredo e Manuel Rodríguez, em 2020, quando o capital da Zolve, empresa onde já trabalhavam, foi adquirido à multinacional Greenyard. Juntos, além de acionistas, os quatro executivos serão responsáveis por toda a gestão executiva do grupo. “Ambas as empresas manterão as equipas e estrutura de gestão atuais, focando ainda mais o negócio no seu maior ponto de diferenciação: uma gestão muito próxima dos clientes e do mercado em geral. Esta nova estrutura proporciona uma visão e estratégia ibérica ao negócio de logística e distribuição de produtos alimentares em temperatura controlada e estabelece uma referência ainda mais sólida no sector em soluções globais especializadas baseadas na melhoria da experiência do cliente. A marca Logifrio, de reconhecido prestígio em território ibérico, continuará a abranger toda a atividade da rede ibérica”, reforça Vitor Figueiredo, Chief Executive Officer da Zolve.

Ambas as operações foram apoiadas pelo fundo de investimento Vallis Capital Partners.

 

Plano estratégico

De acordo com a Zolve, a abordagem ao mercado continuará a basear-se na promoção da melhoria contínua dos processos, no compromisso total com a sustentabilidade e na aplicação das melhores práticas na gestão da cadeia de abastecimento como vetores geradores de valor para os clientes.

O plano estratégico de desenvolvimento futuro do novo grupo tem uma forte ambição de crescimento, quer do ponto de vista orgânico, quer através de outras possíveis aquisições com vista a robustecer a posição no mercado ibérico. Estão também previstos investimentos significativos na incorporação de novas tecnologias com o objetivo de fortalecer ainda mais a adaptação do negócio aos novos desafios do mercado.

Publicidade

Projeto MENU oferece refeições à base de macroalgas da costa portuguesa

Morrisons

Batalha pela compra da Morrisons vai resolver-se em leilão