in

Tmall Global quer levar 200 mil milhões de dólares em bens internacionais para a China

Foto Shutterstock

Nos próximos cinco anos, a plataforma Tmall Global quer levar bens internacionais no valor de 200 mil milhões de dólares para a China.

Para tal, a plataforma da Alibaba vai apostar em duas iniciativas, designadamente, a compra centralizada de importações e o serviço Tmall Overseas Fulfillment, que ajudarão as marcas internacionais a acelerar a sua entrada na China e capitalizar a procura por produtos de elevada qualidade. “Estas novas iniciativas na Tmall Global, respaldadas por todo o ecossistema Alobaba e que beneficiam tanto os parceiros atuais como os futuros, são melhorias necessárias, à medida que nos esforçamos por satisfazer a crescente procura dos consumidores chineses de produtos internacionais de elevada qualidade”, defende Alvin Liu, diretor geral da Tmall Import-Export.

A Alibaba terá seis centros de compras em diferentes partes do mundo, que permitirão que o novo programa obtenha produtos importados para todas as lojas retalhistas, tanto online como físicas. De acordo com a gigante do e-commerce, o programa representa uma “maneira rápida e de baixo risco para que as marcas internacionais ingressem na China, permitindo-lhes chegar aos quase 700 milhões de utilizadores ativos nas plataformas da Alibaba”.

O Tmall Overseas Fullfillment é uma solução de consignação que terá várias marcas para colocar um pequeno lote de produtos num dos centros, para serem logo vendidos na plataforma Tmall Global. Atualmente, há centros no Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos da América, com os planos de expansão a contemplarem a Europa ainda em 2019.

Para apoiar as novas iniciativas, a Cainiao, a rede de logística inteligente da Alibaba, vai continuar a aumentar os seus armazéns na China. O objetivo é triplicar a dimensão total para três milhões de metros quadrados em três anos.

Publicidade

Publicidade

E-commerce vai aumentar em 24% os gastos com cartão

PlasticsEurope pede implementação coerente e harmonizada da diretiva sobre os plásticos de utilização única