in

Symington junta-se à IWCA para descarbonizar o sector dos vinhos

A Symington Family Estates acaba de se juntar à International Wineries for Climate Action (IWCA), um grupo de trabalho colaborativo com o compromisso de acelerar soluções inovadoras que possam mitigar os impactos das alterações climáticas através da descarbonização do sector mundial do vinho.

Desta forma, a empresa familiar reforça o seu compromisso em agir face à severidade da crise climática, através da implementação de medidas imediatas para a redução das suas emissões de carbono. O objetivo é que todos os membros da IWCA tenham uma estratégia de longo prazo para a redução em 80% das suas emissões de carbono até 2045, com uma meta intermédia de 50% até 2030.

A par com a Symington Family Estates, juntaram-se também produtores dos Estados Unidos, Chile e Nova Zelândia às duas famílias do vinho que fundaram esta associação, em fevereiro de 2019: Família Torres (Espanha) e Jackson Family Estates (EUA). Para serem reconhecidos como membros de pleno direito da IWCA, os produtores têm de preencher vários requisitos, para além da redução das emissões totais. Devem, por exemplo, garantir a produção de, pelo menos, 20% da sua própria energia elétrica a partir de fontes renováveis (excluindo a compra de energia renovável certificada).

No âmbito do grupo de trabalho, as empresas devem ainda realizar um inventário de emissões de gases de efeito de estufa (GEE), seguindo os requisitos do protocolo nesta matéria estabelecido pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) e World Resources Institute (WRI), abrangendo os impactos diretos, indiretos e decorrentes das atividades ao longo da sua cadeia de valor. Adicionalmente, têm de assegurar a sua verificação, por entidade competente, de acordo com a norma ISO 14064. É ainda imperativo demonstrar uma redução de, pelo menos, 25% de emissões de CO2 por unidade de vinho produzida, usando o ano referência do inventário de emissões GEE.

Todos os membros agora aderentes ao IWCA cumpriram um inventário base credível do protocolo GHG que abrange, como mínimo, os âmbitos um e dois e comprometeram-se a alcançar os restantes requisitos de modo a tornarem-se membros plenos da IWCA num prazo de cinco anos. “As alterações climáticas configuram um dos maiores riscos que a humanidade enfrenta. Precisamos de indivíduos, empresas e governos que respondam à altura a este desafio. Na Symington, temos o compromisso de reduzir a nossa pegada de carbono e de trabalhar com os nossos parceiros para a redução das emissões na nossa cadeia de fornecimento. Estamos muito satisfeitos em nos juntarmos à IWCA como membros candidatos, por acreditarmos que o rigor dos seus processos a pode colocar na liderança na resposta do sector mundial do vinho a esta ameaça à nossa existência. Encorajamos outros produtores em juntar-se a nós na introdução de compromissos públicos concretos, com metas mensuráveis, para responder ao desafio da crise climática. Não temos tempo a perder”, afirma Rob Symington, diretor associado da Symington Family Estates.

Publicidade

Publicidade

Proximidade e experiências únicas: a chave para o futuro dos centros comerciais

Compal apresenta novo sabor Pera Rocha do Oeste e Framboesa do Algarve