in

Software de restauração da Zone Soft disponibiliza integração automática com Uber Eats

A Zone Soft acaba de disponibilizar o primeiro software de faturação de ponto de venda totalmente integrado com a Uber Eats. O objetivo é simplificar, automatizar e agilizar todo o fluxo de gestão e interação entre esta plataforma, os restaurantes e os consumidores.

A integração vem resolver três pontos críticos com que os estabelecimentos se deparam. Em primeiro lugar, a dispersão da informação entre vários dispositivos. O problema, refere Michael Salvado, partner e diretor comercial da Zone Soft, “começa no tablet disponibilizado pela Uber Eats para receber os pedidos e que é mais um dispositivo para ser gerido pelo estabelecimento, o que, a par de outras plataformas, como a Glovo, gera uma complexidade adicional para as equipas. Ao estar integrado com o ZS rest, os pedidos via Uber Eats caem diretamente no software de ponto de venda onde o cliente trabalha habitualmente, simplificando toda a operação uma vez que o pedido flui naturalmente por todos os equipamentos instalados, tais como impressoras e monitores de cozinha”.

Em segundo lugar, a necessidade de manutenção de vários softwares. A Uber Eats tem o seu backoffice próprio para gerir criar os produtos com fotos, preços, textos, ou seja, traz mais complexidade e exige mais tempo. “Ao estar integrado com o ZS Rest, e usando o Backoffice web ZS BMS, o restaurante consegue gerir tudo na mesma plataforma. É tão simples como, na ficha do produto, indicar que o mesmo é para integrar com o Uber Eats e qual o PVP”, explica Michael Salvado.

Finalmente, a questão do trabalho duplicado em termos de registos e faturação ao consumidor. Atualmente, após o restaurante receber o pedido via Uber, terá que introduzi-lo no software de faturação. Ou seja, tem que voltar a repetir o processo, garantir que a informação chega à cozinha e não se esquecer de faturar a “taxa de entrega” no valor de 2,90 euros. Com a integração direta entre a plataforma Uber Eats e o ZS rest, o pedido é processado de forma automática, segue para a cozinha (impressora ou monitor), é lançada a linha com a taxa de entrega e faturada de imediato. O processo é completamente automático, sem qualquer intervenção do operador. No fecho de caixa, são discriminados os valores faturados a partir da plataforma Uber Eats, o que evita enganos ou análises deficientes à faturação. “Será cada vez mais visível a entrada no mercado de novas plataformas digitais que ajudarão os consumidores a escolher o quê, como e onde comer. Desta forma, o desafio de conseguir integrá-las e aproveitar todas as suas mais-valias para o negócio sem exigir mais tempo e recursos é decisivo para o sucesso de cada estabelecimento”, conclui Michael Salvado.

Publicidade

Vendas globais da Amazon na Black Friday atingem recordes históricos

Américo Ribeiro assume a liderança da Auchan Retail Espanha