in

Rotulagem de Vinho Verde Alvarinho gera descontentamento

Dezenas de produtores, engarrafadores e representantes de Adegas Cooperativas da Região dos Vinhos Verdes reuniram-se, ontem, para discutir e elencar medidas de resolução para o descontentamento generalizado face ao impedimento da rotulagem de Vinho Verde Alvarinho fora da sub-Região de Monção e de Melgaço.

Após análise dos resultados das exportações e vendas de Vinho Verde Alvarinho em território nacional, assim como a recente distinção de Vinhos Verdes com casta Alvarinho não rotulada no Concurso Mundial que decorreu em Bruxelas – atribuindo a grande medalha de Ouro a um Alvarinho de Amares -, a comissão de trabalho entende que a Lei Portuguesa é discriminatória no que à venda de Vinho Verde diz respeito.

Os vários intervenientes deliberaram em assembleia encetar um conjunto de acções que decorrerão ao longo das próximas semanas, com o objectivo de exigir uma revogação da Lei em vigor quanto a esta prática.

Para além de um pedido de audiência ao Ministério da Agricultura e do Mar e ao Instituto da Vinha e do Vinho, os produtores e engarrafadores da Região dos Vinhos Verdes vão enviar para Bruxelas, de imediato, um abaixo-assinado dirigido à Comissão Europeia, a qual já notificou o Estado Português quanto à incompatibilidade das normas restritivas do Alvarinho com o quadro legal comunitário.

Recorde-se que a Região dos Vinhos Verdes conta com cerca de 22 mil produtores, dos quais apenas dois mil podem rotular Vinho Verde Alvarinho.

Publicidade

Sonae MC exporta MDD para 10 geografias

Aki investe 2,5 milhões em Torres Novas