in

Retalhistas britânicos cancelaram contratos no valor de mais de oito mil milhões de euros devido a questões de sustentabilidade

Foto Shutterstock

As empresas de retalho britânicas cancelaram contratos no valor de 7,1 mil milhões de libras (8,484 mil milhões de euros), em 2021, com base em padrões éticos e de sustentabilidade, de acordo com o Barclays Corporate Banking.

De facto, 21% dos retalhistas britânicos afirma ter quebrado laços com um dos seus fornecedores, em 2021, “porque não atingem os padrões exigidos“. Em média, cada empresa quebrou seis contratos, no valor de cerca de 306 mil libras (365.656 euros) por contrato.

 

Investimento a longo prazo na sustentabilidade

39% dos retalhistas britânicos que decidiram dissociar-se de um dos seus fornecedores fê-lo porque estes utilizaram materiais não sustentáveis. 37% denunciou o contrato por causa de práticas laborais abusivas e outros 32% por falta de certificações sustentáveis ou éticas de terceiros.

79% das empresas considera que um investimento, a longo prazo, no cumprimento de normas éticas e sustentáveis é mais importante do que superar a crise da cadeia de abastecimento, a curto prazo.

28% das empresas analisadas pelo Barclays Corporate Banking aliaram-se a instituições que certificam ou monitorizam atitudes corporativas éticas e sustentáveis, com uma despesa média de 34.500 libras (41.226 euros) para cada empresa.

 

Consumidores dispostos a pagar mais

O estudo revelou ainda que dois terços dos consumidores britânicos, com idades compreendidas entre os 16 e os 24 anos, estariam dispostos a pagar mais 4,55% pelos produtos éticos e mais 4,36% pelos artigos feitos com materiais sustentáveis.

Publicidade

Cremes OR

Marca de bio cosmética da Adega Mayor dá uma nova vida às grainhas da uva

Inpost Group e Vinted lançam parceria europeia para entrega de encomendas