in , ,

Queda da libra provoca guerra comercial entre fabricantes e supermercados britânicos

A queda da libra potenciou a primeira grande disputa entre fabricantes e retalhistas no Reino Unido, com a Unilever e a Tesco como protagonistas.

O diferendo, que se prolongou por dia e meio, levou ao desaparecimento de alguns produtos mais icónicos da multinacional anglo-holandesa das prateleiras da Tesco.

O conflito iniciou quando a Unilever propôs uma subida de 10% no preço de alguns produtos, 40 no total, o que motivou a oposição da Tesco. A fabricante decidiu, assim, não fornecer alguns produtos de marcas como Hellman’s, Comfort, Dove ou Ben & Jerrys, decisão motivada, segundo a empresa, pelo encarecimento nos artigos importados, com preços em euros ou em dólares.

Fonte consultada pelo The Guardian assegurou que a Unilever está a utilizar o Brexit como uma desculpa para subir os preços, incluindo os dos produtos fabricados no Reino Unido. Da parte da indústria reconhece-se também que os fabricantes estão em melhor posição que os retalhistas para assumir os efeitos da depreciação da moeda. Desde o referendo realizado a 23 de junho sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia que a libra já caiu 18% face ao dólar norte-americano.

Ambas as partes já chegaram, entretanto, a acordo, sem que se tenha procedido a aumento dos preços. Esta não é, contudo, a primeira disputa do género envolvendo a Tesco. Em março do ano passado, sucedeu algo parecido com a Coca-Cola, com os produtos da marca Schweppes, neste mercado distribuídos pela multinacional norte-americana, a desaparecem das lojas da Tesco.

Publicidade

Publicidade

Stanley Black & Decker vai comprar o negócio da ferramentas de Newell

PepsiCo com foco em produtos mais saudáveis