in ,

Promoções atingem em 2017 50% das vendas

Em 2017, o Natal voltou a ser o período mais importante para as vendas do retalho alimentar, tendo até registado uma importância superior à dos anos anteriores. “Analisando especificamente a semana do Natal, verificou-se um aumento de 8%, o dobro do crescimento verificado no ano anterior,tendo sido esta a semana com maior pico de vendas do ano”, introduz Marta Teotónio Pereira, Client Consultant Senior da Nielsen.

Como é habitual, também as promoções se intensificaram neste período: após vários anos em crescimento, atingiram em 2017 o máximo de 50% do valor total das vendas. “Sendo este um período que ganha cada vez mais importância, marcas e retalhistas devem estar atentos e delinear as suas estratégias de forma a ir ao encontro dos gostos e necessidades dos consumidores neste período específico”.

Neste Natal, todas as categorias apresentaram fortes crescimentos, contribuindo também para o crescimento do conjunto do ano. Foi neste período que os bens de grande consumo apresentaram o maior dinamismo, com um crescimento de 9,1% em dezembro face a um crescimento de 2% no período homólogo.

Neste período, foram as marcas de fabricante (10,1%) que tiveram um crescimento superior às marcas da distribuição (6,8%). A categoria das bebidas teve o crescimento mais elevado (12,1%), seguindo-se a alimentação (8,6%), que registou o mais alto valor alcançado ao longo do ano e a higiene pessoal (7,9%), que teve também o maior crescimento do ano. Já a higiene do lar cresceu 7,1%, quando em período homólogo apresentava um decréscimo de 1,4%.

No conjunto do ano, os bens de grande consumo fecharam com um crescimento de 4,2%, com as marcas de fabricante (4,3%) a crescerem em paralelo com as marcas da distribuição (4,2%). A categoria das bebidas foi a que mais cresceu (8,4%), seguida da categoria de higiene do lar (3,8%), alimentação (3,4%) e higiene pessoal (3,1%).

No sector da alimentação, os produtos de mercearia e congelados cresceram 4%, demonstrando uma maior procura por produtos premium, saudáveis e de conveniência. De destacar também o crescimento de 2% da categoria dos lacticínios, que no período homólogo não registava crescimento.

No que se refere aos formatos de loja, os supers grandes foram o canal mais dinâmico, com um crescimento de 6,7% em relação ao período homólogo.

Em 2017, as marcas de fabricante cresceram 4,3%, em paralelo com as marcas da distribuição, que aumentaram 4,2%. Analisando as diversas categorias, verificou-se uma tendência para um crescimento superior por parte das marcas da distribuição (10,8% e 7,9% no sector das bebidas; 3,5% e 3,3% na alimentação e 5,2% e 2,4% na higiene pessoal). A única categoria em que essa tendência não se verificou foi no sector da higiene do lar, com um dinamismo de 4,7% das marcas de fabricante e 1,8% relativamente às marcas da distribuição, o que pode ser influenciado pela forte aposta em promoções por parte das marcas de fabricante.

Publicidade

Que tendências marcarão 2018 nas plataformas digitais?

DIA estuda processar o Estado espanhol por ter proibido a venda abaixo do preço de custo