in

Portos nacionais registam mais de 80 milhões de toneladas nos primeiros 10 meses de 2017

O volume de carga movimentada registou, nos primeiros 10 meses de 2017, o valor mais elevado de sempre, com 81,3 milhões de toneladas, ultrapassando em 5,1% o valor de 2016.

O maior contributo para o referido desempenho foi dado pelo porto de Lisboa ao registar um acréscimo de 2,1 milhões de toneladas, equivalente a mais 26%.

O movimento de contentores registou também a melhor marca de sempre, ao ultrapassar o volume de 2,5 milhões de TEU.

Sines continuou a liderar o movimento portuário, com uma quota de 52,2%, e também o movimento global de contentores, com uma quota de 56,6%.

Nos primeiros 10 meses de 2017, o movimento de navios nos portos comerciais do continente traduziu-se pela realização de 9.230 escalas, superior em 2,2% ao número verificado no período homólogo de 2016, a que correspondeu um volume total de arqueação bruta (GT) superior a 174,7 milhões (mais 4,9% do que o verificado em igual período de 2016) e que constitui a marca mais elevada de sempre nos períodos homólogos. Douro e Leixões registaram o maior número de escalas, um total de 2.263.

No que respeita ao desempenho global do mercado portuário, importa sublinhar a forte influência do mercado da carga contentorizada, que contribuiu, positivamente, para o acréscimo de 8,8%, representando, assim, 35,4% do total, seguida pelo dos produtos petrolíferos, que, representando 18,7% do total, registou um crescimento de 16%. Merece ainda especial destaque o facto de todos os mercados de carga inseridos no perímetro dos granéis sólidos terem registado globalmente um crescimento de 13,7% O mercado da carga Roll-On/Roll-Off justifica também uma referência particular por manter uma trajetória de crescimento acentuado, sendo de 19,5% no período em análise.

O comportamento do mercado portuário no segmento da carga embarcada, no qual as exportações representam mais de 80%, registou nos primeiros 10 meses de 2017 um volume de cerca de 33,1 milhões de toneladas. Em termos de volume global, o porto que registou um maior crescimento de carga embarcada foi o de Lisboa, com mais 47,1% para uma quota de 13,3%.

No que diz respeito ao segmento da carga desembarcada, no qual as importações representam cerca de 90%, verificou-se, no período janeiro a outubro de 2017, um movimento global de 48,2 milhões de toneladas, para o qual contribuiu com maior significado o tráfego de produtos petrolíferos, que registou um acréscimo de 31,3%, fixando a sua quota em 14,3%. Os portos que induziram um impacto mais significativo no comportamento deste segmento de mercado foram Sines, Aveiro, Leixões e Lisboa.

Publicidade

Indesit apresenta nova máquina de lavar loiça com ciclo BabyCare

Daniel Coleman é o orador principal da QSP Summit 2018