in ,

Otimismo na previsão económica para 2018

Em 2018, os retalhistas norte-americanos devem beneficiar de um cenário de melhoria do emprego, do crescimento do rendimento disponível para consumo e de um ambiente de crédito mais fácil.

Estimamos que as vendas no retalho, excluindo combustíveis, aumentarão 4,7% em 2018“, afirma Scott Hoyt, diretor sénior de economia de consumo da Moody’s Analytics. “Essa é uma melhoria em relação ao aumento de 3,8% de 2017, que foi praticamente plano com o ano anterior“.

A perspetiva eeflete um crescimento robusto na economia global. Para 2018, a Moody’s espera que o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano cresça 2,9%.  “Todas as principais economias estão a expandir-se em uníssono pela primeira vez numa década“.

Talvez o fator mais importante seja o fortalecimento do mercado de trabalho, que deve colocar dinheiro  nos bolsos dos consumidores. À medida que o desemprego diminui, os empregadores têm mais dificuldade em encontrar trabalhadores suficientes, o que é um bom presságio para o crescimento dos salários e para um aumento resultante do rendimento do consumidor que pode ser direcionado para o retalho A Moody’s espera que os ganhos horários médios cresçam 3% em 2018.

Apesar da confiança dos consumidores e das empresas permanecer alta, o caminho futuro ainda não é claro. “Há um desafio para encontrar e manter os trabalhadores certos e ainda lidar com as pressões de preços baixos” potenciadas pelo comércio online. Além disso, os retalhistas podem ser prejudicados pelas medidas protecionistas prometidas durante a campanha de Donald Trump, se estas forem instituídas.  Finalmente, os retalhistas precisam de manter um olhar atento na saúde do sector bancário. 

Publicidade

Consumo de vinho cresce em Portugal

Clínica Dr. Wells abre na Avenida de Roma