in ,

Nestlé junta o seu esforço à construção de uma nova economia dos plásticos

A Nestlé tornou-se membro efetivo fundador do Pacto Português para os Plásticos, que vem pôr em prática a visão global da nova economia dos plásticos, da Fundação Ellen MacArthur, que se caracteriza por incentivar uma economia circular para os plásticos, na qual estes nunca se convertem em resíduos.

Esta iniciativa é coordenada em Portugal pela Associação Smart Waste Portugal, com o apoio do Ministério do Ambiente e da Ação Climática e em parceria com a rede dos pactos para os plásticos da Fundação Ellen MacArthur.

O Pacto Português para os Plásticos é uma plataforma de colaboração e inovação que visa reunir os diferentes atores da cadeia de valor nacional do plástico, sob uma visão comum e com metas e objetivos ambiciosos para 2025, com o intuito de solucionar, na origem, os problemas associados ao plástico. “Decidimos entusiasticamente aderir ao pacto e dar o nosso apoio, uma vez que partilhamos integralmente a mesma visão e a mesma ambição. Somos parte ativa na partilha de valor com a sociedade portuguesa, com a qual estamos comprometidos há já quase um século. Atuar de forma responsável e promover a sustentabilidade em tudo o que fazemos é uma obrigação e uma missão da nossa companhia que se traduz num plano concreto, que irá ser acelerado em 2020 e nos próximos anos. Estamos totalmente envolvidos com os nossos centros de pesquisa, com as nossas fábricas e com todos os nossos esforços em Portugal para desenvolver sistemas e processos para reduzir as nossas embalagens, para tornar todos os materiais reutilizáveis ou recicláveis aplicando o princípio ‘sustainable by design’. Estes são os nossos compromissos e esta é a contribuição que trazemos ao pacto. Será muito importante partilhar e trabalhar com todos os parceiros, empresas e com os consumidores para um rápido desenvolvimento de uma efetiva economia circular em Portugal”, refere Paolo Fagnoni, diretor geral da Nestlé Portugal.

Em 2019, a Nestlé lançou no mercado português os snacks YES! e o achocolatado NESQUIK All Natural, com embalagens em papel 100% reciclável. Também no caso da nova gama de cereais NESTUM ZERO, cuja embalagem é 100% reciclável, todo o papel utilizado provém de fontes sustentáveis. Na fábrica do Porto, dedicada à produção de café torrado, foi eliminado o plástico nas embalagens secundárias de café torrado.

Ainda em 2019, a Nestlé, em conjunto com a indústria, patrocinou um projeto da Associação Industrial e Comercial do Café (AICC) no sentido de estudar e concluir uma recomendação sobre a reciclagem de cápsulas de café e de outras bebidas, cujas conclusões serão apresentadas em breve. Foi ainda testada com sucesso a utilização de material de ponto de venda 100% reciclável.

Ao mesmo tempo que implementou estas medidas, em 2019, eliminou todos os plásticos de uso único nas suas instalações e está a fazer o mesmo nas dos seus clientes Horeca. Tratou-se de eliminar 150 toneladas de plásticos ao longo da sua cadeia de valor. Para esta redução, contribuíram medidas como a substituição das paletines em plástico para mexer o café de todas as marcas da Nestlé por madeira e bambu, a eliminação do plástico que envolvia as embalagens de café destinadas ao canal Horeca, que foram substituídas por cartão, a redução do filme plástico que envolve as paletes destinadas ao envio dos produtos Nestlé para o mercado e a sua substituição por filme contendo plástico reciclado, e ainda a substituição dos materiais de ponto de venda em plástico por metálicos nos clientes Nestlé também do canal Horeca, entre outras medidas.

Em simultâneo com a execução de todas estas medidas no mercado português, a Nestlé está focada na investigação sobre as embalagens sustentáveis. Para tal, a Nestlé inaugurou, em setembro de 2019, o Nestlé Institute of Packaging Sciences, o primeiro centro de pesquisa na indústria alimentar dedicado ao estudo das embalagens, localizado em Lausanne, na Suíça. Esta instituição permitirá à companhia acelerar os seus esforços na melhoria da economia circular das embalagens, explorando alternativas sustentáveis como materiais de base biológica, compostável e biodegradável.

Já no início de 2020, a Nestlé anunciou ainda um investimento de dois mil milhões de francos suíços para liderar a mudança na utilização de plásticos virgens para plásticos reciclados de qualidade alimentar (food grade) e acelerar o desenvolvimento de soluções pioneiras de embalagens sustentáveis, apoiando empresas startup com projetos nesta área.

Fabricantes de bebidas alcoólicas colocam sinalética sobre restrições de consumo nos seus produtos

Mundiarroz apresenta plano de sustentabilidade a 10 anos