in

Millennials estão a mudar a forma de vender alimentos e bebidas

Os Millennials estão a exercer uma elevada pressão sobre os hábitos de consumo, o que se está a repercutir nas vendas e, em consequência, na estratégia de muitas empresas de grande consumo.

De facto, os Millennials consomem de forma distinta dos jovens de outrora, o que, por exemplo, está a afetar as cadeias de fast food, com a alimentação a ser dos sectores mais visados pela sua alteração de hábitos. Estão também a deixar de ir tanto ao supermercado e a abdicar da compra semanal. O dinheiro que poupam nestas compras direcionam para outros gastos, preferindo, por exemplo, encomendar a comida ao domicílio. Nas lojas, procuram por coisas diferentes, o que se está a refletir no aumento da oferta de produtos orgânicos e mais naturais. Dados Nielsen compilados pela eMarketer confirmam uma subida das vendas de alimentos e bebidas considerados mais premium.

Nesse sentido, a eMarketer nota como as gigantes alimentares têm vindo a adaptar-se a toda esta mudança através da compra de startups ou pequenas marcas que vendem produtos menos processados e menos comerciais. Contudo, os mesmos dados da Nielsen revelam que, apesar deste esforço, no que ao consumo dos Millennials diz respeito, as grandes multinacionais continuam com dificuldades para capitalizar a mudança. As 25 maiores empresas de alimentação e bebidas norte-americanas só capitalizaram 3% do crescimento do mercado, entre 2011 e 2015, ao passo que as empresas de dimensão inferior às 100 maiores levaram metade desse crescimento.

Publicidade

Amazon confirma entrega de encomendas através de fotos