in

Mercadona aposta pela igualdade também em Portugal

“A mesma responsabilidade, o mesmo salário”, esta é a premissa com que a Mercadona sustenta o seu plano de igualdade.

Desde 1993, ano em que a empresa implementou o seu modelo de qualidade total que tem potenciado não só a prática da igualdade entre homens e mulheres no acesso ao emprego, à formação e à promoção interna, como na conciliação da vida familiar e laboral.

Na Mercadona, os colaboradores, mulheres e homens têm o mesmo salário, quando assumem o mesmo nível de responsabilidade, conhecido por todos, e o mesmo nível de oportunidades, quando se fala de promoção interna.

O plano de igualdade da Mercadona consolida a sua linha de atuação a favor da igualdade de oportunidades e, resultado disso, 47% dos cargos de direção são ocupados por mulheres de uma equipa onde representam 64% do total.

Em Portugal, o mesmo plano de igualdade é respeitado e, atualmente, das 300 pessoas já contratadas para a equipa portuguesa, 51% dos cargos de direção são ocupados por mulheres. Entre elas, destacam-se quatro exemplos de mulheres que lideram o projeto da Mercadona em Portugal: Marta Cortizas, Elena Aldana, Maria João Ferreira e Patrícia Cotrim.

Marta Cortizas é diretora de Obras e Expansão de Portugal. Começou com o projeto da Mercadona em Portugal desde o início, liderando a equipa que se dedica à procura de espaços para localização, licenciamento e construção dos escritórios, centro de coinovação e lojas da Mercadona em Portugal.

Elena Aldana, diretora de Assuntos Europeus e Relações Externas de Portugal, foi das primeiras pessoas a chegar ao país para desenvolver o projeto de internacionalização da empresa e reunir esforços para conhecer a sociedade portuguesa e dar a conhecer o projeto Mercadona s através das relações institucionais e a comunicação .

Maria João Ferreira, diretora de Recursos Humanos de Portugal, chegou à empresa no ano de 2017 para assumir a formação e desenvolvimento dos colaboradores. É um caso de promoção interna e atualmente lidera a equipa de recrutamento e seleção da Mercadona, que até ao final do ano pretende recrutar cerca de 700 pessoas.

Patrícia Cotrim, diretora do Sector Primário e Associações de Consumidores de Portugal, juntou-se à equipa no ano 2018 para liderar as relações com o sector primário e associações de consumidores, dando continuidade ao projeto da cadeia agroalimentar sustentável da Mercadona.

A política de recursos humanos da Mercadona foi reconhecida pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), dependente das Nações Unidas, no seu estudo “O Emprego Atípico no Mundo”. Para a OIT, a aposta da Mercadona no emprego estável e de qualidade, assim como o esforço que realiza na formação e partilha de lucros com os trabalhadores, são fatores que sustentam e justificam o êxito da sua política de recursos humanos.

Publicidade

Preços altos são uma barreira ao consumo responsável

Carla Esteves assume direção executiva da UniMark