in

MELOM e Querido Mudei a Casa Obras registam aumento de 27% nas adjudicações

O balanço anual da rede de franchising comprova o crescente interesse dos portugueses em remodelar as suas habitações: a MELOM e o Querido Mudei a Casa obras registaram, em 2019, uma faturação de 40 milhões euros (um crescimento de 11% face a 2018) e um aumento de 27% no número de obras concedidas às duas insígnias, com destaque para as obras de pequena dimensão, que cresceram 15% no ano passado.

Destaque também para o sul do país, que representou o maior volume de negócios em termos de faturação da MELOM e QMAC-O, com um aumento de 24% face a 2018, e em número de adjudicações, com 2.387 obras realizadas (mais 20,4% do que em 2018). Com estes resultados, o sul do país alcançou os 68% do volume de negócios total de ambas as insígnias. Por outro lado, o norte do país contribuiu com um aumento de 40% nas obras adjudicadas, representando 1.385 obras realizadas no ano passado.

Os resultados apontam também a abertura, no ano passado, de 56 novas unidades em território nacional (31 novas unidades MELOM e 25 da insígnia QMAC-O) e um aumento de 27% nas adjudicações, tendo as duas insígnias sido escolhidas para 3.772 intervenções, de norte a sul do país. “É com enorme satisfação que assistimos a mais um ano de forte crescimento da MELOM e Querido Mudei a Casa Obras. A nossa presença no mercado é já absoluto sinónimo de garantia do melhor leque de serviços, em constante adaptação às necessidades dos portugueses, a par do importante trabalho que desenvolvemos para a profissionalização do sector“, comenta João Carvalho, diretor geral da MELOM. “Este ano, observámos num balanço extremamente positivo ao nível das adjudicações e, sem dúvida, que a confiança dos nossos clientes vem reforçar a garantia de qualidade dos serviços prestados pelos nossos franchisados, quer em pedidos de pequenas ou grandes intervenções”, acrescenta.

A remodelação geral mantém-se em primeiro lugar no que diz respeito ao tipo de obra mais solicitado pelos portugueses, mas em destaque, entre o tipo de obra mais solicitado no ano passado, surgem as pequenas intervenções (canalização, bricolage e decoração e pintura) que registaram um aumento de 15% face ao ano anterior. O valor médio de obra para pequenas intervenções foi 4.348 euros. Já o valor médio de obra para grandes intervenções foi de 19.365 euros, registando-se um decréscimo de 26,1% face a 2018, em que o valor médio de obras de maior dimensão foi 26.213 euros.

SAP oferece três meses de acesso gratuito à sua rede de negócio

APB recomenda utilização de apps e homebanking