in

Marcas de fabricante imprimem dinamismo aos bens de grande consumo no 1.º trimestre

Os bens de grande consumo cresceram 3,1% no primeiro trimestre, atingindo perto de dois mil milhões de euros.

De acordo com a Nielsen, de 25 de fevereiro a 24 de março, o crescimento foi 1,3% sobre um período homólogo já muito dinâmico, que evoluiu 6,5%.

Nesta quadrissemana, as marcas de fabricante aumentaram 2,5%, enquanto as da distribuição e primeiros preços diminuíram 1,2%.

Também no acumulado do primeiro trimestre registou-se um dinamismo bastante superior das marcas de fabricante (4,4%), comparativamente com os 0,6% das marcas de distribuição.

Pela primeira vez em 12 meses, a alimentação apresentou uma variação negativa na quadrissemana em análise (-2,5%), embora sobre um período homólogo bastante dinâmico (8,7%). No acumulado do primeiro trimestre, a categoria cresceu 0,9%, dinamizado pelas marcas de fabricante, que aumentaram 1,9%, comparativamente ao acréscimo de 0,5% das marcas de distribuição e primeiros preços.

As bebidas foram, por seu turno, a categoria mais dinâmica tanto da quadrissemana (11%) como do trimestre (9,6%). Em ambos os períodos, marcas de fabricante e da distribuição cresceram a ritmos muito semelhantes. No primeiro trimestre, especialmente nos meses de fevereiro e março, registaram-se temperaturas superiores às verificadas em 2018, contribuindo para um aumento significativo quer nas bebidas alcoólicas, quer nas não alcoólicas.

Também a higiene do lar apresentou um dinamismo considerável de 25 de fevereiro a 24 de março, especialmente no que diz respeito às marcas de fabricante, que cresceram 14,1%, o que compara com os 2,6% das marcas da distribuição. No total, a categoria alcançou em março um aumento de 10,6%, o mais elevado do último ano. No primeiro trimestre, o crescimento foi de 7%, com as marcas de fabricante (8,7%) a evoluírem acima das marcas da distribuição e primeiros preços (3%).

Finalmente, na quadrissemana em análise, a higiene pessoal aumentou 4,6%, motivada especialmente pelas marcas de fabricante. As marcas da distribuição mantiveram-se relativamente estáveis (0,3%). No acumulado do primeiro trimestre, a tendência foi semelhante, com um acréscimo de 5,2% das marcas de fabricante e de 1,3% das marcas de distribuição, totalizando um crescimento de 4,2%.

Vinhos da Península de Setúbal distinguem os 60 melhores da região

Nestlé alia-se ao Carrefour na tecnologia Blockchain