in ,

Marcas asiáticas continuam a superar as suas concorrentes

As marcas asiáticas continuam a prosperar dentro das suas próprias fronteiras, mantendo-se no topo da maioria dos mercados asiáticos nos últimos anos. O seu sucesso não é, contudo, isento de desafios ou contratempos, mas as fortes parcerias com os retalhistas locais manteve-as equilibrados e permitiu que continuasse a avançar e a superar as marcas multinacionais.

O segundo relatório anual “Asia Brand Power” da Kantar Worldpanel foca-se nos poderosos parceiros por detrás do sucesso das marcas asiáticas, respondendo e adaptando-se às necessidades de mudança dos consumidores, dirigindo e remodelando o mercado de produtos de grande consumo na Ásia. Neste relatório, a Kantar Worldpanel explora a dimensão oculta do aumento das marcas de produtos FMCG da Ásia, revelando os retalhistas locais que atuam cada vez mais como porteiros para mercados em rápido crescimento e o que contribui para o seu sucesso. O relatório disseca quais os tipos de parceria que procuram entre os seus fornecedores e fabricantes. Através de entrevistas com alguns dos principais operadores da região, o relatório fornece visões sobre as suas estratégias de negócio e os ingredientes secretos para o seu crescimento.

A mudança demográfica radical é uma característica definidora da paisagem de retalho na Ásia. O envelhecimento das populações e a urbanização combinam-se para remodelar os ritmos das compras. Os retalhistas são rápidos em responder a essas mudanças demográficas, entendendo como lidar com as necessidades do envelhecimento da população e da redução da dimensão das famílias – menos planeamento de refeições, preferem comprar o que precisam, quando precisam. Uma das tendências mais importantes é o movimento para a compra e venda de produtos em pequenas embalagens de uso único. Existem muitas vantagens nestas soluções, que incentivam os apetites para a experimentação, permitindo que o cliente prove novos produtos e marcas.

Os números de crescimento mais expressivos estão a ser registados pelos mini mercados e pelas lojas de conveniência. O formato menor e de vizinhança está a superar o fosso entre o comércio moderno e tradicional e serve como centro comunitário, onde os “shoppers” podem pagar contas de serviços públicos, comprar viagens, marcar concertos e reuniões sociais. Muitos deles estão a ter um forte crescimento, ultrapassando as lojas de maiores dimensões.

À medida que a penetração do smartphone aumenta na maioria dos mercados asiáticos aumenta a complexidade quanto ao modo como os consumidores integram as suas experiências de compras online e offline. A escolha entre visitar lojas e comprar através da Internet não é mutuamente exclusiva. Os retalhistas asiáticos estão a encontrar novas maneiras de suavizar a experiência do cliente através da tecnologia  e essa é uma das características mais interessantes do mercado de produtos refrigerados na região. Na China, a fusão de offline e online é uma prioridade para cada grande retalhista , incluindo aqueles que construíram os seus negócios online.

Uma maior ênfase na saúde e na qualidade está a levar os retalhistas a oferecerem uma melhor garantia sobre segurança e qualidade. Seja um problema de segurança alimentar na China e em Taiwan, o controlo de qualidade para as encomendas online ou a carne e alimentos orgânicos rastreáveis na origem, os principais retalhistas estão conscientes de que é a sua responsabilidade encarregar-se de oferecer paz de espírito aos compradores.

Publicidade

Amazon introduz marcas próprias na Europa

51% dos consumidores já usam assistentes de voz nas suas compras online