in

Lojas de retalho alimentar da Sonae MC tornam-se mais ecológicas

O Banco Europeu de Investimento (BEI) assinou um contrato de empréstimo com a onae MC, no valor de 55 milhões de euros, para financiar os investimentos da empresa com vista a reduzir o impacto ambiental da sua atividade de retalho alimentar.

Através deste acordo, a Sonae MC instalará novas tecnologias, que irão melhorar a sua sustentabilidade ambiental. O empréstimo do BEI contribuirá para a renovação dos sistemas técnicos das lojas, com equipamentos mais eficientes em termos energéticos, bem como novas tecnologias de produção de eletricidade e gestão de resíduos.

Emma Navarro, vice-presidente do BEI, e Rui Almeida, diretor financeiro da Sonae MC, assinaram  o acordo em Matosinhos, no Porto. O financiamento do BEI foi possível graças ao apoio do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), pilar central do Plano de Investimento para a Europa, conhecido como o “Plano Juncker”. Este permite ao Grupo BEI alargar a sua capacidade de financiamento de projetos com elevado valor acrescentado que, no caso deste acordo, é patente ao nível da promoção da utilização eficiente dos recursos, da coesão social e territorial e da criação de emprego. O projeto implicará, nomeadamente, a contratação de mais de 1.200 pessoas durante a fase de implementação.

Emma Navarro, vice-presidente do BEI, e Rui Almeida, diretor financeiro da Sonae MC

Na cerimónia de assinatura em Matosinhos, Emma Navarro, declarou que “este projeto é um excelente exemplo das nossas prioridades em Portugal: investir na inovação para apoiar a ação climática e fomentar a coesão, o emprego e o crescimento económico. O acordo assinado hoje terá um impacto ambiental extremamente positivo e dará um contributo importante para o combate às alterações climáticas, ao reduzir o consumo energético e permitir a utilização de fontes de energia renováveis“.

Carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, adiantou que “este novo acordo ao abrigo do Plano Juncker mostra que a concretização dos nossos objetivos ambiciosos ao nível da União Europeia, nos domínios da transição energética e da ação climática, também se traduz em novos postos de trabalho para a população. Este é um projeto do qual nos podemos sentir orgulhosos e congratulo-me por a União Europeia, através do Plano Juncker, poder fazer parte do mesmo“.

A modernização das lojas de retalho alimentar da Sonae MC permitirá reduzir o consumo de eletricidade em 10 %, mediante a instalação de equipamentos e tecnologias de monitorização e gestão da energia mais eficientes. Os sistemas de refrigeração serão renovados, contribuindo para a utilização eficiente da energia e reduzindo o impacto ambiental dos gases com efeito de estufa. O consumo de água também irá diminuir, graças à instalação de novos sistemas de gestão da água. Além disso, as lojas produzirão o equivalente a cerca de 8% das suas necessidades de eletricidade, mediante o recurso a fontes de energia renováveis. Os investimentos relacionados com a água permitirão reciclar e valorizar até 24 % do total de resíduos alimentares gerados. O projeto contribuirá para o desenvolvimento do mercado de veículos elétricos (VE), através da instalação de cerca de 680 pontos de carregamento de VE nos parques de estacionamento das lojas, melhorando a experiência do cliente entre as pessoas mais sensibilizadas para as questões ambientais.

O montante de investimento elegível deste projeto ascende a 110 milhões de euros, a ser realizado entre julho de 2018 e junho de 2022.

Este financiamento também é importante para a Sonar MC, porque permite a diversificação das suas fontes de financiamento e o acesso a empréstimos com prazos mais longos (máximo de 12 anos) a custos competitivos.

Universal Robots quer reforçar presença em Portugal

Snacks Urban Nature chegam aos supermercados Pingo Doce