in

JD vai desafiar a Amazon na sua própria “casa”

A JD.com prevê começar a vender online no mercado norte-americano no segundo semestre e quer estabelecer-se na costa oeste, devido à proximidade com a China.

A empresa está a procurar financiamento para apoiar a sua expansão internacional. Está iminente a venda de 15% do seu negócio de logística à Tencent Holdings e outros investidores, algo que deverá acontecer neste ou no próximo mês.

Richard Liu, fundador da JD.com, não esconde o desejo de encurtar a distância para a Alibaba. “A regra na JD é, uma vez tomada uma decisão, não limitar o montante de investimento”, disse no Forum Económico Mundial, que se realizou recentemente em Davos, na Suíça. A empresa ambiciona gerar metade das suas receitas a nível internacional, dentro de uma década, e “irá continuar a investir até que atinja esse objetivo”.

Na sua abordagem ao mercado norte-americano, a JD poderá apoiar-se no acionista Walmart para o suporte logístico inicial. Face ao ambiente protecionista que se vive nesta geografia, a empresa está a considerar várias opções, incluindo parcerias com empresas locais. O objetivo da JD é investir fortemente nos Estados Unidos da América, onde quer construir um centro logístico que permita oferecer entregas no próprio dia.

Para além deste mercado, em 2018 a JD iniciará operações no Vietname, Índia, Filipinas e Malásia. A ambição passa também pelo mercado europeu, com uma estratégia simples que contempla a venda de produtos chineses de qualidade a preços mais baixos que a concorrência.

Publicidade

H&M

H&M vai encerrar 170 lojas e focar no e-commerce

Mercadona

Conheça um dos primeiros projetos da Mercadona em Portugal