in

Indústria global de moda crescerá entre 3,5% e 4,5% em 2018

A indústria global de moda crescerá entre 3,5% e 4,5% em 2018, atingindo 2,5 biliões de dólares (2,1 biliões de euros), de acordo com o relatório publicado pela The Business of Fashion e pela McKinsey & Company.

Especificamente, o estudo enfatiza que essas previsões excedem o crescimento anunciado ao longo deste ano, que o situou entre 2,5% e 3,5%.

Desta forma, a indústria global de moda triplicará o crescimento experimentado em 2016, embora, a longo prazo, o ritmo permaneça abaixo da média anual de 5,5%. O relatório estima que a margem de lucro bruto da indústria permaneça estável em 10% no próximo ano.

Este aumento será impulsionado principalmente pela evolução dos mercados emergentes na Ásia, África e América Latina, seguidos pelos seus homólogos europeus. Assim, as estimativas da BoF e McKinsey mostram que os mercados emergentes da Ásia (Índia, Vietname ou China) alcançarão um crescimento entre 6,5% e 7,5% em 2018, enquanto os seus congéneres europeus (Roménia, Rússia, Turquia, etc.) ficarão ligeiramente atrás, com aumentos entre 5,5% e 6,5%.

No entanto, os mercados desenvolvidos na América do Norte e Europa terão a menor taxa de crescimento, entre 1% e 3%, abaixo da média do sector.

O fundador e editor-chefe da The Business of Fashion (BoF), Imran Amed, reitera que “mais de metade dos lucros da indústria global de moda virão dos novos mercados orientais, em vez dos mercados maduros da Europa Ocidental e da América do Norte“. Um facto que para o analista de moda na McKinsey & Company, Antonio Gonzalo, é um “ponto importante de inferência” para o sector. “Os líderes da indústria continuam a preparar-se para crescer num contexto de mudanças constantes, em que novas tecnologias, um novo perfil de consumidor e o imprevisível ambiente macroeconómico continuamente desafiam a sua capacidade de modificar as suas estratégias e modelos de funcionamento“, explica, sobre os desafios que a indústria de moda tem de enfrentar.

Por outro lado, os autores do relatório também destacam as 10 tendências-chave que terão um grande impacto na indústria de moda no próximo ano, entre as quais se destaca o papel pioneiro da Ásia na inovação tecnológica, bem como o domínio do mercado por parte das plataformas online, a sustentabilidade e os benefícios da inteligência artificial. “No que diz respeito ao uso da inteligência artificial, a moda ainda está no colo de outras indústrias, o que não significa que não reconheça a importância da AI“, acrescenta Ignacio Marcos, da McKinsey & Company.

Publicidade

Sonae interessada em cadeia de retalho no Egito

Aldi vende cerveja e prosecco “pet-friendly”