in

Fatura eletrónica na Sonae gera poupanças de 15 milhões de euros

A Sonae implementou, em 2005, um projeto de desmaterialização das comunicações com os seus parceiros e fornecedores, promovendo a adoção da fatura eletrónica como forma de melhorar a qualidade de informação para a gestão dos negócios, otimizar os tempos de tratamento de informação e proporcionar poupanças económicas e ambientais como um todo.

Fruto do projeto desenvolvido pela Direção dos Serviços Administrativos (DSA), a Sonae conseguiu melhorar a sua pegada ecológica, poupando anualmente mais de 90 toneladas de papel, 10 milhões de litros de água e mais de 50 milhões de emissões de CO2, bem como salvando 2.500 árvores.

A desmaterialização do processo de faturação dos fornecedores proporcionou, assim, poupanças anuais superiores a 15 milhões de euros, contribuindo para uma maior eficiência e produtividade das atividades desenvolvidas pelas várias unidades de negócio da Sonae.

Nuno Guerreiro, diretor da DSA da Sonae, afirma que “a implementação da fatura eletrónica no relacionamento com os fornecedores e parceiros foi um sucesso e permitiu ganhos significativos para todas as partes. As equipas passaram a ter acesso a informações e indicadores de gestão com maior qualidade, agilidade e rapidez, o que veio facilitar o seu trabalho e gerar não só poupanças ambientais e financeiras, como também ganhos efetivos de produtividade”.

A Sonae gere, todos os anos, mais de três milhões de processos de faturação, envolvendo mais de 20 mil fornecedores e parceiros. O trabalho desenvolvido permite que, hoje, 100% das ordens de compra e 99% das faturas dos fornecedores externos sejam emitidas eletronicamente. No conjunto das empresas Sonae, hoje, 93% das faturas do total dos fornecedores são já desmaterializadas.

Publicidade

Publicidade

Nestlé e Veolia unem-se para desenvolver processos de reciclagem

Portal da Queixa transforma-se em rede social