in

Empresas da Europa Central e de Leste esperam aumentos nas insolvências

Insolvência
Foto Shutterstock

60% das empresas da Europa Central e de Leste preveem que as contínuas tensões económicas conduzam a um aumento das insolvências entre os seus clientes durante os próximos 12 meses, de acordo com os resultados do Barómetro de Práticas de Pagamento de 2024, divulgado pela Crédito y Caución.

O estudo, que se baseia nas participações de mais de 1.700 empresas em oito mercados (Bulgária, República Checa, Hungria, Polónia, Roménia, Eslováquia, Eslovénia e Turquia), destaca ainda a preocupação de 33% das empresas com o impacto das condições económicas nas suas operações comerciais e no investimento.

Esta previsão quanto às insolvências está em linha com os níveis que se registam entre as empresas da Europa Ocidental. Para responder a estas expetativas, o tecido produtivo está a fazer uma mudança estratégica no que toca à gestão do risco de crédito, de forma a proteger a sua saúde financeira. O barómetro indica um crescimento de 10% no número de empresas da região que recorreram ao seguro de crédito nos últimos doze meses. 56% das empresas que fizeram um seguro de crédito para as suas contas B2B reduziram as suas reservas para dívidas incobráveis, libertando capital circulante para financiar as suas operações comerciais e os seus investimentos. O investimento é a área mais afetada pelo risco de crédito, com mais de uma em cada três empresas na Europa Central e de Leste a sentir essa pressão.

A abordagem proativa para melhorar a gestão do risco de crédito, que também envolve um maior uso do factoring e do crédito documentário, destaca a resistência e adaptabilidade das empresas da região na gestão do complexo cenário económico atual. No entanto, também explica por que razão 34% das empresas da região estão otimistas quanto às perspetivas para as práticas de pagamento dos seus clientes B2B no próximo ano: o aumento da gestão do crédito comercial ajuda as empresas a mitigar o aumento do risco de atrasos e incumprimentos, contribuindo para uma melhoria nas práticas de pagamento dos clientes, mesmo num contexto de possível aumento das insolvências de empresas financeiramente mais frágeis.

Com as expetativas de crescimento real do PIB de 3% na região e de queda da inflação para a meta dos 5% até ao final do ano, as economias da Europa Central e de Leste estão prontas para ganhar impulso, mas com diferentes velocidades. As empresas transformadoras e da construção continuam a enfrentar fortes ventos contrários decorrentes da subida das taxas de juro e da fraca procura externa. Devido a esta perspetiva mista e à prolongada tensão económica, particularmente entre as empresas mais fracas, quase 60% das empresas da região esperam um aumento das insolvências entre os seus clientes B2B, o que poderá deteriorar as perspetivas de risco de crédito nos próximos meses. As empresas da região são conhecidas pela sua resistência, mas aquelas que operam a crédito com clientes B2B devem aproveitar as soluções de gestão de risco de crédito, incluindo seguros, para promover o crescimento, melhorar o fluxo de caixa e proteger a rentabilidade“, refere Andreas Tesch, Chief Market Officer da Atradius NV.

Siga-nos no:

Google News logo

IKEA língua gestual portuguesa

Novo serviço de planificação da IKEA conta com intérprete de língua gestual portuguesa

AEP missão empresarial

AEP em missão empresarial com o sector agroalimentar à Geórgia e à Arménia