in

Dinamarca será a primeira a impor imposto sobre o CO2 nas explorações agrícolas

Foto Shutterstock

A Dinamarca, um grande exportador de carne suína e de lacticínios, introduzirá um imposto sobre as emissões de dióxido de carbono do gado, a partir de 2030, tornando-se no primeiro país a fazê-lo e esperando inspirar outros a segui-la, disse o governo dinamarquês.

Um imposto foi proposto, pela primeira vez, em fevereiro por especialistas para ajudar a Dinamarca a alcançar uma meta juridicamente vinculativa para 2030 de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 70%, em relação aos níveis de 1990. O governo centrista chegou a um amplo compromisso com agricultores, indústria, sindicatos e grupos ambientalistas sobre a política ligada à agricultura, a maior fonte de emissões de CO2 do país.

“Seremos o primeiro país do mundo a introduzir um verdadeiro imposto sobre o CO2 na agricultura”, disse o ministro das Finanças, Jeppe Bruus.

 

Imposto sobre o CO2

O acordo propõe tributar os agricultores em 300 coroas dinamarquesas, cerca de 40 euros, por tonelada de CO2 em 2030, aumentando para 750 coroas, cerca de 100 euros, até 2035.

Os agricultores terão direito a uma dedução do imposto sobre o rendimento de 60%, o que significa que o custo real por tonelada começará em 120 coroas dinamarquesas (16 euros) e aumentará para 300 coroas dinamarquesas até 2035, enquanto serão disponibilizados subsídios para apoiar ajustamentos nas operações agrícolas.

Siga-nos no:

Google News logo

 

 

transformação empresas

1 em cada 6 empresas do Sul da Europa sofre pressões de transformação

Aldi Nord

Aldi escolhe a Bélgica para lançar seu programa de fidelização