in

Dachser fecha ano adverso com balanço positivo

A Dachser fecha o ano de 2020 com balanço positivo. Os resultados económicos, conquistados num ano tão adverso, ficam a dever-se, em grande medida, à fidelidade e à relação de confiança mantida com os clientes da multinacional.

O volume de vendas da empresa manteve-se quase inalterado face ao ano anterior, apesar de todos os constrangimentos causados pela pandemia de Covid-19, que fizeram de 2020 um ano extremamente atípico. Assim, e graças a um segundo semestre bastante forte, que compensou o impacto causado pelos confinamentos vividos em abril e maio, na Europa, o volume consolidado de vendas líquidas da multinacional de logística ascendeu a 5,61 mil milhões de euros, durante o último exercício fiscal, o que reflete um decréscimo de 0,9% face ao ano anterior.

Cumprimos a promessa de ser uma âncora de estabilidade durante a crise do coronavírus“, afirma Burkhard Eling, CEO da Dachser. “O encorajamento e a confiança dos nossos clientes e parceiros foram uma fonte de motivação essencial. Temos que agradecer especialmente à nossa equipa e a todos os que operam em nome da Dachser por este ano de sucesso. Apesar das condições muito difíceis causadas pela pandemia, o desempenho dos nossos colaboradores foi notável, estando, sistematicamente, à altura da responsabilidade exigida em todos os momentos”.

Durante todo o período de crise, a Dachser conseguiu manter o funcionamento das cadeias de abastecimento dos seus clientes sem qualquer interrupção, o que implicou um esforço adicional na procura de soluções mais flexíveis para contornar as restrições impostas à capacidade de transporte, especialmente no que diz respeito às rotas intercontinentais. Paralelamente, a multinacional conseguiu assegurar a proteção de saúde dos elementos de toda a sua equipa e dar suporte aos parceiros europeus de longa data.

 

Queda global no número de envios e carga transportada

Em contraste com o declínio de 2,2% no volume de vendas da divisão Road Logistics, a divisão Air & Sea Logistics registou um aumento de 5,2% na faturação. Esta área de negócio beneficiou da capacidade própria de transporte, assegurada pelos serviços de voos charter, e das altas taxas de frete do transporte intercontinental. Agrupando todas as unidades de negócio da empresa, o número de envios caiu 2,5% relativamente a 2019, para os 78,6 milhões, enquanto a carga transportada caiu 2,9%, para 39,8 milhões de toneladas. “Depois de um bom primeiro trimestre, seguiram-se os confinamentos em muitos países europeus, com quedas drásticas no transporte terrestre. A partir de junho, houve, porém, uma nítida recuperação, com volumes consistentemente acima dos níveis verificados em 2019”, comenta Burkhard Eling, CEO da Dachser. “O nosso modelo de negócio tem demonstrado que resiste a crises, apresentando um excelente potencial de crescimento e capacidade de adaptação”, considera o responsável, que faz um balanço positivo do ano de 2020, apesar das adversidades.

 

Road Logistics

Em 2020, a divisão Road Logistics da Dachser – que agrega o transporte e armazenamento de bens industriais e de consumo (European Logistics) e de alimentos (Food Logistics) – não perdeu o ímpeto de crescimento. No entanto, mesmo com a recuperação sentida no final do ano, tornou-se impossível compensar integralmente as quebras na Europa, impostas pelos confinamentos de abril e maio, sendo que as operações em França e na Península Ibérica foram as mais atingidas. Esta dinâmica fez a receita líquida consolidada da divisão Road Logistics cair 2,2% para cerca de 4,5 mil milhões de euros.

Enquanto a unidade de negócio European Logistics registou uma quebra de 3,2% na faturação, para os 3,52 mil milhões de euros, a Food Logistics viu as receitas aumentarem para os 982 milhões de euros, um aumento de 1,9% face ao ano anterior. Esta unidade de negócio enfrentou um ano relativamente turbulento, marcado pela agitação nas compras em supermercados e pela paragem dos serviços nas indústrias de catering, hotelaria e eventos. Ainda assim, a queda nos envios verificada nesses sectores foi compensada com a aquisição de novas contas e com a obtenção de maiores volumes de negócio no retalho alimentar. Aqui, refira-se que, ao longo do ano, a Dachser Food Logistics aumentou a tonelagem transportada em 1,6%.

 

Transporte aéreo e marítimo

As receitas da divisão Air & Sea Logistics da Dachser beneficiaram da escassez da capacidade de carga no transporte aéreo e marítimo e do aumento correspondente nas taxas de frete, ao longo de 2020. Impulsionada pela atividade na Ásia, esta divisão aumentou a sua receita em 5,2%, para um total de 1,2 mil milhões de euros. “Respondemos rapidamente aos muitos pedidos de transporte aéreo, fretando aeronaves para expandir a nossa própria capacidade, inicialmente para abastecimento de produtos médicos e, depois, também para outros tipos de mercadorias. No geral, operámos cerca de 150 voos charter entre Europa, Ásia e Estados Unidos da América durante 2020”, afirma Burkhard Eling.

A situação no transporte marítimo foi complexa durante a crise pandémica, devido à escassa capacidade e à falta de contentores vazios, que tornou este mercado volátil e fez disparar as taxas de frete. No entanto, as rotas LCL, conhecidas como grupagem marítima, beneficiaram em particular deste desenvolvimento. “Dado o grande potencial que vemos para este serviço premium, pretendemos aumentar ainda mais a frequência, a capacidade e a qualidade das nossas rotas LCL, conectando-as na perfeição com a nossa restante rede de grupagem europeia”, afirma o CEO da Dachser.

 

Dachser manteve o controlo das operações

Burkhard Eling sublinha que a Dachser não permitiu que a crise do coronavírus ditasse as suas ações. Isto aplica-se tanto à mudança geracional da direção executiva – a nova equipa assumiu funções a 1 de janeiro de 2021 – quanto ao planeamento de investimentos.

No ano passado, investimos 142,6 milhões de euros na nossa rede de logística global. Este ano, temos previsto um investimento de cerca de 190 milhões de euros para criar capacidade logística adicional e avançar com a digitalização de processos e modelos de negócio”, avança o CEO da multinacional de logística e transporte. A recém-criada unidade executiva de IT & Development, comandada pelo Chief Development Officer (CDO) Stefan Hohm, assumirá uma posição de destaque neste investimento.

De acordo com Burkhard Eling, o elevado capital social de 61,6% e a lealdade dos acionistas à empresa dão à Dachser o apoio de que precisa para dar seguimento à sua comprovada filosofia de crescimento, sustentada em recursos próprios.

Além disso, a crise do coronavírus reforçou o compromisso da Dachser com a formação, especialmente para motoristas e operadores de logística, que traduz a política profundamente enraizada na cultura corporativa da multinacional. Em 2020, apesar das limitações, 625 novos estagiários e estudantes iniciaram as suas carreiras na Dachser, na Alemanha.

“Nos próximos dois anos, pretendemos começar a expandir as nossas áreas de entregas livres de emissões a, pelo menos, 11 cidades europeias, enquanto implementamos a distribuição com recurso a mais veículos elétricos e bicicletas de carga elétricas. Além disso, e enquanto membro da Associação Alemã de Células de Hidrogénio e Combustível, estamos a apoiar ativamente a pesquisa e o teste nesta área“, conclui o CEO da Dachser.

Publicidade

Agricultor

Confiança no sector alimentar aumenta com a pandemia de Covid-19

Aussie

Aussie reforça o seu posicionamento no mercado português