in

Comércio eletrónico muda hábitos de consumo na China

Após quatro anos de grande crescimento na China, o comércio eletrónico continua a ganhar a aceitação dos consumidores e a motivar importantes mudanças nos hábitos de compra e de consumo.

Contudo, de acordo com o estudo “Keeping up with China’s Shoppers at Two Speeds”, realizado pela Kantar Worldpanel e pela Bain Company, o crescimento da atividade digital teve pouco impacto em alguns elementos estratégicos do comportamento do consumidor, como a fidelidade às marcas.

O estudo revela que o mercado dos bens de grande consumo na China continua a crescer lentamente, um ritmo imprimido desde 2011 e que se manteve na primeira metade deste ano. Esta situação tem forçado as marcas a inovar de modo a aumentar a sua penetração nos lares, crescimento e quota de mercado. No segundo trimestre deste ano, notou-se uma certa melhoria nas vendas, contudo, o cômputo do primeiro semestre é de um crescimento de apenas 2% face ao mesmo período de 2016, muito em parte devido ao declínio de 3% nos volumes.

O estudo destaca que os “shoppers” chineses estão a comprar com menos frequência, uma tendência que está a aumentar nos últimos três anos, a par com o crescimento do e-commerce. Com as compras a serem transferidas para o online, os “shoppers” tendem a fazer encomendas maiores, tendo menos necessidade de se deslocar aos supers e hipermercados.

O estudo indica ainda um declínio na frequência de compra nas categorias de alimentação e bebidas, que resulta também do boom nos serviços de entrega de comida potenciados pelas novas tecnologias digitais, que estão rapidamente a mudar os hábitos de refeição dos consumidores chineses.

Publicidade

Unilever compra marca de chá da Starbucks

Sara de Pablos é a nova diretora geral da Diageo para Portugal e Espanha