in ,

Queda nas exportações comunitárias de frutas e produtos hortícolas

O volume de frutas e produtos hortícolas exportados pela União Europeia para países terceiros diminuiu 7% no primeiro semestre do ano. Em valor, a queda foi de 1%, em comparação com o mesmo período de 2016.

No total, foram exportados 2,9 milhões de toneladas e 2.408 milhões de euros, de acordo com os últimos dados atualizados pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat), processados pela Fepex.

As exportações comunitárias de frutas para países terceiros caíram 8% em volume, totalizando 1,8 milhões de toneladas, e o valor cresceu 1%, totalizando 1.454 milhões de euros. Os principais frutos enviados são maçã e pera, com um milhão de toneladas (-7%) e 497 milhões de euros (-6%), e citrinos, com 331.894 toneladas (-11%) e 227,1 milhões de euros (+2%).

As exportações comunitárias de produtos hortícolas totalizaram 1,1 milhões de toneladas (-7%) e 953,4 milhões de euros (-3%). As maiores vendas de produtos hortícolas para países terceiros foram de cebola e alho, com 390.047 toneladas (+7%) por um valor de 145 milhões de euros (-24%), e de batatas, com 361.355 toneladas (-13%) por um valor de 161,7 milhões de euros (-7%).

O principal beneficiário de frutas e produtos hortícolas comunitários foi a Bielorrússia, com 700.605 toneladas, 6,6% inferior ao mesmo período de 2016. Seguem-se a Suíça, com 340,524 toneladas (-4,5%), e a Noruega, com 183,215 toneladas (-18%).

De acordo com a Fepex, os números do primeiro semestre mantêm a tendência de queda já observada em 2016, quando também diminuíram 9% em relação a 2015, totalizando 6,5 milhões de toneladas, refletindo “a dificuldade de acesso a novos mercados“.

Publicidade

Preços do café atingem quatro meses de crescimento em agosto

AB InBev compra energia eólica para produzir 20 mil milhões de garrafas