in ,

Novas etiquetas energéticas da União Europeia visam reduzir a confusão do consumidor

etiquetas energéticas

Novas etiquetas energéticas estão a ser lançadas em toda a Europa, numa tentativa de ajudar os consumidores a reduzir a sua pegada de carbono. As novas regras de rotulagem, introduzidas esta segunda-feira, dia 1 de março, foram desenhadas de forma a permitir que as pessoas distingam mais claramente entre os produtos mais eficientes em termos de energia.

As etiquetas energéticas vão, agora, usar uma escala mais simples ,de A a G, com as quatro categorias A+ extras a desaparecer completamente. “É uma vitória para os consumidores ver a nova etiqueta finalmente encher as prateleiras em toda a Europa”, afirma Monique Goyens, diretora geral da European Consumer Organisation (BEUC). “As organizações de consumidores há muito tempo que pedem à União Europeia que se livre das classes ‘+’ que se tornaram enganosas. Menos de um em cada quatro consumidores entendia que um frigorífico A+ era o de menor desempenho no mercado. Como tal, era chegada a hora de uma revisão da etiqueta, que tornaria mais fácil para os consumidores identificar os eletrodomésticos mais eficientes em termos de energia e economizar dinheiro”.

 

4 categorias

As novas etiquetas energéticas serão aplicadas, inicialmente, a quatro categorias de produtos: frigoríficos e congeladores, máquinas de lavar a loiça, máquinas de lavar a roupa e TV. Lâmpadas e candeeiros seguir-se-ão no dia 1 de setembro, com outros produtos a mudarem ,também, nos próximos anos.

Por enquanto, para deixar espaço para o desenvolvimento de produtos com maior eficiência energética, a Comissão Europeia afirma que a categoria de classe A permanecerá vazia.

automóvel

60% dos portugueses não se vê a viver sem automóvel, menos 25% que em 2017

Javier Tabernero

Canon nomeia Javier Tabernero da Veiga como novo administrador delegado para Portugal e Espanha