in

Comité Científico Consultivo da Mercadona apresenta as prioridades na segurança alimentar

A Mercadona quer avançar em áreas como a redução de plásticos, gestão de resíduos ou produtos saudáveis. Os cosméticos têm também a máxima atenção.

Da vigilância dos produtos cosméticos à escolha de carnes, peixe, frutas e legumes, o Comité Científico Consultivo da Mercadona tem colaborado com todas as secções para garantir a segurança alimentar. Composto por seis investigadores de renome no campo da nutrição, biotecnologia, saúde de plantas e animais, microbiologia, toxicologia e cosméticos, este comité presta consultoria externa, científica e independente há 16 anos.

O pronto a comer, uma das mais recentes inovações que a empresa de supermercados trouxe para Portugal, é exemplo do processo onde estes investigadores têm um papel determinante. Num encontro com jornalistas em Madrid, o microbiólogo Andrés Otero explicou que, em todos os processos da Mercadona, é assegurada a “saúde microbiológica dos produtos”, o que, no caso do pronto a comer, significou a vigilância tanto de produtos como de processos: como se transportam os alimentos, que instalações os vão receber e cozinhar, que práticas devem seguir os trabalhadores na confeção dos produtos. Depois desta análise, foi desenhado um sistema para que cada etapa seja cumprida todos os dias e o modelo esteja preparado para resolver qualquer problema pontual.

A fraude devido a misturas impróprias de componentes é outra das prioridades da investigação destes especialistas, que apostam na análise dos componentes e amostras de um produto de origem vegetal e animal.

Num contexto de consumidores cada vez mais exigentes e de novas tendências nutricionais, os investigadores debatem e orientam a Mercadona sobre temas como os superalimentos.

Por outro lado, a segurança alimentar e a qualidade dos produtos também passam pela etiquetagem. O Comité Científico Consultivo tem colaborado com o Departamento de Prescrição da Mercadona para garantir que o cliente acede a informação clara e visível.

Na área de cosméticos, onde os especialistas incluem champôs e gel de banho, a toxicóloga María Pilar Vinardell destaca a aposta na formação dos colaboradores desta secção e “na redução de microplásticos e a eliminação de parabenos na formulação dos seus produtos de perfumaria“.

O Comité Científico Consultivo da Mercadona reúne de seis em seis meses, mantendo encontros frequentes com o Departamento de Qualidade da empresa.

Publicidade

Rui Maínhas é o novo diretor geral do Groupe SEB Portugal

Startup brasileira de economia social chega a Portugal