in ,

Comissário europeu da Agricultura perspetiva crescimento do sector alimentar e bebidas na União Europeia

As necessidades de alimentos e bebidas, onde a União Europeia é o principal produtor, vão crescer durante os próximos 30 anos”. Este é o entendimento de Phil Hogan, comissário europeu da Agricultura e Desenvolvimento, que esteve recentemente em Espanha para debater a Política Agrícola Comum (PAC).

O comissário esteve acompanhado da eurodeputada Clara Aguilera e da ministra da Agricultura e Pesca, Alimentação e Meio Ambiente, Isabel García Tejerina, e centrou a sua intervenção no financiamento da PAC. Phil Hogan relembrou que, em maio, a Comissão Europeia irá apresentar a sua proposta de orçamento para os anos a partir de 2020 e que, em junho, será apresentada a proposta em relação à agricultura.

O novo orçamento comunitário não irá contar com o contributo do Reino Unido, o que deverá afetar o destinado à agricultura, que representa 40% do total. “Todas as opções estão em cima da mesa”, reconheceu Phil Hogan, destacando que um maior financiamento por parte dos Estados-membros podia ser uma boa solução. “Se os países contribuíssem com apenas 0,1% mais do seu Produto Interno Bruto, seria suficiente para resolver o problema”.

O debate sobre o papel dos jovens no sector agrícola também foi recorrente, com o comissário a relembrar que existe uma classe média que cresce anualmente para cerca de 150 milhões de consumidores, que procuram bebidas e alimentos de qualidade. “Não é aceitável que, na Europa, apenas 6% dos agricultores tenham menos de 35 anos. Podemos fazer muito mais e prometo uma regeneração para os jovens”, assegurou Phil Hogan.

Publicidade

Oikos lança os sabores Cheesecake de Mirtilo e Oikos Tarte de Limão

Amazon lança as suas marcas próprias alimentares em Espanha