in

Startup portuguesa tecnológica para o sector agrícola recorre ao equity crowdfunding

A Agroop, startup portuguesa tecnológica para o sector agrícola, lançou uma operação de venda de ações em “equity crowdfunding”. A empresa recorre, pela quarta vez à Seedrs, a maior plataforma europeia do género, com o objetivo de angariar financiamento por parte de investidores em todo o mundo.

Na campanha, a Agroop pretende captar, pelo menos, 500 mil euros em troca de 11% do seu capital, atribuindo à empresa uma avaliação pré-investimento de quatro milhões de euros. A campanha está ativa em https://www.seedrs.com/agroop3.

O encaixe desta operação servirá para a Agroop continuar a inovar e a reforçar a sua proposta de valor, mas sobretudo para reforçar a sua expansão internacional, depois do financiamento arrecadado nas campanhas anteriores ter permitido criar a sua equipa e começar a desenvolver o seu produto.

Nas três campanhas realizadas na Seedrs, a Agroop conseguiu um investimento total de aproximadamente 685 mil euros. Na primeira ronda, feita em 2015, tornou-se na primeira startup portuguesa a conseguir investimento na Seedrs, ao captar 75 mil euros. Um ano depois angariou mais 95 mil euros e, em 2017, levantou 514 mil euros, registando um “overfunding” de 257%. “Vamos iniciar esta nova ronda de investimento para continuarmos a inovar, ampliar e reforçar a nossa proposta de valor, mas principalmente para alicerçar a nossa estratégia de expansão e apostar de forma mais assertiva e direta em mercados com grande potencial e poder de compra, nomeadamente Estados Unidos, onde já temos ‘early adopters’ muito fortes, e Austrália, onde já possuímos clientes e parceiros motivados”, explica Bruno Fonseca, CEO da Agroop.

No início de 2018, a Agroop lançou um novo produto combinado para o sector agrícola, o Stoock, um multi-sensor que mede dados sobre as culturas, e a Agroop Cooperation, um software que permite analisar esses dados. O objetivo é ajudar produtores agrícolas e consultores a gerirem necessidades hídricas e prevenir pragas e doenças, obtendo, assim, uma produção melhor e mais rentável, poupando recursos e aumentando a eficiência dos seus negócios.

Esta solução já conseguiu à empresa várias distinções e foi escolhida pela StartUs como uma das empresas de AgTech mais disruptivas do mundo e apontada pelo Challenge Advisory como uma das oito empresas do sector a manter debaixo de olho.

Publicidade

Publicidade

Google Images torna-se uma webshop

Makro Portugal renova certificação HACCP