in

Portugueses continuam a recorrer à banca e à família

A maioria dos portugueses procuraria o apoio da banca tradicional (36%) e da família e amigos (32%) caso sentissem necessidade de pedir dinheiro emprestado, concluí o mais recente estudo de mercado do Observador Cetelem. A preferência pelos bancos e pelos familiares já era evidente no ano passado, mas com percentagens ligeiramente menos expressivas: 31% e 25% respetivamente.

O estudo verificou ainda que há menos consumidores a admitir recorrer a sociedades financeiras especializadas em caso de necessidade (apenas 4%, -7 p.p. em relação a 2014). A percentagem de indivíduos que procuraria ajuda financeira junto de colegas de trabalho mantém-se nos 2%. Já a banca online, ainda que pouco representativa, parece ter conquistado mais consumidores: em 2014, apenas 0,3% dos inquiridos admitiam recorrer a essa opção, valor que ascendeu agora para os 2%.

Publicidade

Coca-Cola lança ativação digital #beijafelicidade

Samsung cria montra de produtos no Mercado da Ribeira