in

Aposta da Costco em Espanha ainda não teve retorno

O medo que gerou na grande distribuição a chegada a Espanha do segundo maior retalhista norte-americano parece, de momento, infundado. Três anos depois de abrir o seu primeiro estabelecimento, a Costco apenas conta com duas lojas no país, a sua cifra de negócios ascende a 25 milhões de euros e ainda não ganhou dinheiro em Espanha, conforme os últimos dados que figuram no Registro Mercantil.

A diretora-geral da empresa em Espanha, Diane Tucci, disse no início de 2016 que as vendas estavam a “funcionar muito bem” e que o consumidor espanhol tinha “entendido o modelo“, já superando os 120.000 cartões de sócio (entrega de dois por cada pessoa que pague a quota). Os seus planos também passavam por unir a Sevilha e Getafe uma terceira loja em Las Rozas, em 2016, e inaugurar pelo menos mais cinco, até 2020, em Madrid, Barcelona e Valência, sem excluir outras cidades como Bilbao e Málaga.

No entanto, a loja de Las Rozas, para a qual já se havia adquirido o terreno e que deveria ter aberto no outono, ainda não foi inaugurada, o que está a abrandar o plano de crescimento da empresa. Os estabelecimentos de Getafe e Sevilha dão à Costco um volume de negócios, em 2015, de menos de 25 milhões de euros.

Além disso, a subsidiária espanhola da cadeia norte-americana não deixou de perder dinheiro. Esta situação resultou que, em apenas dois anos, a subsidiária tenha precisado de cinco ampliações de capital. O primeiro, de 30 milhões de euros, ocorreu em abril de 2015, enquanto em setembro do mesmo ano outros 25 milhões de euros foram adicionados. Já em 2016, ampliou o capital em 10 milhões e euros em fevereiro, em cinco milhões de euros em junho e noutros 10 milhões de euros em outubro num total de 139,73 milhões de euros.

Publicidade

Produção nacional de frutas e verduras cresce mais de 14,5%

Maior grupo de distribuição da Croácia perto da falência