in

Preços dos cereais, leite e carne vão descer nos próximos 10 anos

Os preços dos cereais, do leite e da carne descerão durante os próximos dez anos, para depois estabilizar. Assim conclui o estudo “Perspetivas Agrícolas 2015-2024”, realizado pela FAO e pela OCDE.

Durante os próximos dez anos, os preços reais projetados cairão para níveis inferiores aos vistos desde 2009. O aumento da produtividade graças às melhorias tecnológicas, a previsão de boas colheitas e a queda do petróleo estarão por detrás desta queda dos preços”, assinala o relatório.

O estudo antecipa que o preço dos cereais retroceda a curto prazo, como consequência das colheitas históricas de 2013 e 2014, dos elevados níveis de stock, do fraco crescimento económico e da queda dos preços do petróleo. A médio prazo, espera-se que os preços nominais subam ligeiramente face ao aumento de outros custos de produção.

Já no açúcar, o estudo antecipa que o seu preço nominal possa recuperar a curto prazo dos níveis atuais, que “são realmente baixos após quatro anos de excesso de oferta e depreciação do real brasileiro face ao dólar”, já que os produtores estão a ajustar a oferta à procura.

Por outro lado, o preço da carne atingiu níveis recorde em 2014 e, segundo as previsões da FAO e OCDE, irá cair fortemente até 2024, graças ao aumento da produtividade e à redução dos custos com a alimentação do gado.

Quanto ao preço do leite, este iniciou uma forte queda na segunda metade do ano passado, graças à quebra da procura na China. Prevê-se, para os próximos dez anos, uma recuperação dos preços nominais, à medida que a procura recupera.

Publicidade

Clientes da Marks & Spencer podem colher a sua própria fruta na loja

Lucros da General Mills caem 33,1%