in ,

Metade das compras online nacionais são feitas em retalhistas que operam em Portugal

Metade das compras na Internet feitas em Portugal é realizada em retalhistas que operam no mercado português e um quinto em entidades que operam na Europa. Esta é uma das conclusões do estudo sobre comércio eletrónico “e-Commerce Report – CTT 2017”, divulgado pelos CTT, realizado entre e maio e julho deste ano e encomendado pelos Correios de Portugal.

As compras feitas a retalhistas presentes na China aumentaram de 14% para 20% do total de compras online, ou seja, mais 43 pontos percentuais face ao ano anterior. No que refere à Europa, o Reino Unido e Espanha mantêm-se como principais origens para a compra além-fronteira, tendo as compras em Espanha aumentado 8,4%, mais um ponto percentual face ao ano anterior.

Sobre o perfil do comprador português na Internet, o estudo conclui que se distribui de forma equilibrada entre os dois géneros (52% sexo feminino e 48% sexo masculino), sendo que oito em cada 10 tem até 44 anos de idade e 70,1% possui habilitações académicas: licenciatura ou mestrado. Quanto ao rendimento médio mensal, dois em cada três consumidores auferem mais de 1.600 euros por mês. Em termos de lazer, passam cerca de três horas, em média, por dia a navegar na Internet.

O e-commerce em Portugal cresce mais de 10% e as pessoas que compram online crescem mais de 20% todos os anos“, aponta à Lusa o administrador dos CTT, Francisco Simão. No ano passado, o comércio eletrónico cresceu 10,5%. “Sentimos que há uma novidade muito grande no transporte de encomendas, os consumidores querem cada vez mais as encomendas mais rápidas, convenientes e com segurança“, destaca Francisco Simão. Este estudo é encomendado pelos CTT para “acompanhar as tendências” e, nesse sentido, criar “uma resposta em termos de oferta comercial“.

O serviço de entrega permanece uma componente importante para o comprador online, dado que oito em cada 10 “e-buyers” o consideram importante ou muito importante. 

O administrador dos CTT deu ainda o exemplo de novas ofertas de serviços que os Correios lançaram, como a aplicação que permite ao consumidor acompanhar a viagem da sua encomenda, o alargamento das opções de entrega ou mesmo os cacifos automáticos, estes últimos a funcionar em projeto-piloto. 

Outra das novidades é o lançamento da Uber das encomendas, uma plataforma que permite enviar e receber em menos de duas horas uma encomenda. “Temos de responder a estas tendências com uma oferta conveniente para sermos vistos como um ‘player’“, salienta Francisco Simão, adiantando que os Correios de Portugal estão a “transportar quase 10% mais de volume de tráfego“.

Outra das novidades é que os CTT fizeram uma parceria com a plataforma online OLX, onde os consumidores podem colocar à venda os seus produtos.

Publicidade

Henkel apresenta forte desempenho no 3.º trimestre

AEP e empresas nacionais do sector agroalimentar estão na China