in

E-commerce vale 5,1% das vendas de FMCG

Foto Shutterstock

As vendas online de Fast Moving Consumer Goods (FMCG) cresceram 20,3%, em 2018, representando 5,1% das vendas totais destes produtos a nível mundial, indicam os dados da Kantar.

O crescimento foi catalisado pelos mercados norte-americano e chinês, que, em conjunto, representam 84% do incremento no e-commerce global, graças aos desempenhos de Amazon, Alibaba, JD.com e Walmart.

 

País Crescimento das vendas online de FMCG em valor
Global 20,3%
EUA 35,9%
China continental 32,3%
Taiwan 31,9%
Itália 26,3%
Coreia do Sul 14%
Alemanha 11,5%
Espanha 9,1%
França 5,7%
Reino Unido 3,5%
Japão 0,8%

 

Uma elevada percentagem de compras online nas economias asiáticas é feita via smartphone, o que significa que estes países irão continuar a liderar em termos de vendas online de FMCG. Mais de 19% das vendas de bens de grande consume na Coreia do Sul vêm do online, a quota mais elevada a nível mundial. Segue-se a China com 14%, que deverá ultrapassar a Coreia do Sul em 2025, já que nove em cada 10 compras online são feitas através de um dispositivo móvel. Em Taiwan a percentagem é de 8,2% e no Japão chega a 7,7%.

Na Europa Ocidental, 4,1% das vendas de bens de grande consumo devem-se ao e-commerce, um movimento liderado pelo Reino Unido, com 7,2%, e pela França, com 5,6%, apesar de ambos os países estarem a crescer mais lentamente do que no ano anterior. Em contraste, as vendas online cresceram quase 35% na Holanda, onde startups como a Picnic contribuíram com 4,5%.

Na Europa de Leste, o e-commerce de bens de grande consumo está menos desenvolvido e representou apenas 1,9% das vendas totais, em 2018. Apenas a República Checa e a Rússia têm uma quota do online acima dos 1,5% nesta região, com, respetivamente, 3,3% e 2,2%.

De igual modo, este canal está ainda numa fase inicial na América Latina. Com a Argentina na liderança, apenas 0,6% das vendas têm origem no comércio eletrónico, sem que tenha havida qualquer aumento face ao ano anterior. Questões relativamente à segurança e métodos de pagamento imediatos ainda são barreiras para os consumidores locais comprarem através da Internet.

 

% das vendas online no total das vendas de FMCG

Quota do e-commerce em valor (%) 2017 2018
Global 4,3% 5,1%
Coreia do Sul 17% 19,1%
China continental 11,1% 14%
Taiwan 6,4% 8,2%
Japão 7,6% 7,7%
Reino Unido 7,2% 7,2%
França 5,4% 5,6%
Holanda 3,5% 4,5%
EUA 3,3% 4,4%
República Checa 3% 3,3%
Dinamarca 2,2% 2,6%
Espanha 2,2% 2,4%
Áustria 2,5% 2,3%
Rússia 2,4% 2,2%
Malásia 1,5% 1,8%
Itália 1,4% 1,7%
Portugal 1,6% 1,6%
Alemanha 1,4% 1,5%
Hungria 1,1% 1,5%
Eslováquia 1,2% 1,2%
Polónia 1,1% 1,1%
Argentina 0,6% 0,6%
Croácia 0,5% 0,6%
Bulgária 0,2% 0,3%
Indonésia 0,1% 0,2%
Chile 0,1% 0,2%
Colômbia 0,1% 0,2%
Índia 0,1% 0,1%
Filipinas 0% 0,1%
Brasil 0,1% 0,1%

 

Globalmente, são os “pure players”, como a Amazon, Alibava e JD.com, que estão a ganhar o mercado de e-commerce e a atrair novos compradores. Os “pure players” representam 72% das vendas online, após terem crescido, coletivamente, 29% em 2018. Os retalhistas que operam tanto no canal físico como no digital cresceram apenas 3%.

Os gigantes digitais dominam em ambos os lados do mundo. A Amazon representa 53% das vendas online de FMCG nos Estados Unidos da América e alcançou quotas de 8,8% na Alemanha, 5% na França, 3,2% em Espanha e 1% no Reino Unido. “Apesar das vendas online dos retalhistas multicanal na Europa tenderem a focar-se na alimentação e bebidas, as vendas da Amazon baseiam-se nos cuidados pessoais. Em França, por exemplo, embora a Amazon seja a líder online nos cuidados pessoais, é apenas sétima na alimentação e bebidas. Aqui, os tradicionais ‘bricks and mortars’ encontram o sucesso através do ‘click and collect’, com o E.Leclerc a ser 20 vezes maior do que a Amazon nas vendas online de alimentos, devido ao Drive”, afirma Eric Batty, global e-commerce business development director na divisão Worldpanel.“

 

Pure players vs retalhistas tradicionais, quota vendas online de FMCG em valor

Quota (%) Pure players Retalhistas tradicionais
Global 71,8% 28,2%
China continental 99,1% 0,9%
Taiwan 92,7% 7,3%
EUA 60% 40%
Dinamarca 52,8% 47,2%
Alemanha 48,4% 51,6%
Rússia 43% 57%
Espanha 24,4% 75,6%
Reino Unido 16,2% 83,8%
Áustria 11,7% 88,3%

 

A Kantar antecipa que o online represente perto de um terço das vendas totais de FMCG na China, em 2025, e um quarto na Coreia do Sul. No Reino Unido e em França, o valor será de, respetivamente, 9% e 8%. “Em 2025, o e-commerce representará 10% o gasto em FMCG a nível global, o dobro do valor atual. A integração on e offline, tecnologia inteligente e opções de venda direta ao consumidor irão ajudar a atrair novos shoppers para o online, onde a atual penetração é de apenas 21%”, conclui Stéphane Roger, global shopper and retail director na divisão Worldpanel.

 

Quota do online no FMCG em 2025

Quota do online em valor (%) Previsão 2025
Global 10%
China continental 31%
Coreia do Sul 24%
Taiwan 20%
EUA 12%
Reino Unido 9%
França 8%
Argentina 3%
Brasil 3%
México 3%

Publicidade

Publicidade

CEOs da Danone e Migros vão presidir ao conselho do The Consumer Goods Forum

Mais de 500 empresas enfrentam Donald Trump pela guerra comercial com a China