Com os colaboradores, os parceiros e os clientes

Ricardo Alves, administrador da Riberalves
Ricardo Alves, administrador da Riberalves

De um momento para o outro, a vida como a conhecemos mudou radicalmente. E à nossa empresa, apenas mais uma neste ecossistema abalado pelo surto pandémico, colocaram-se dois objetivos imediatos, mas prioritários: defender os nossos colaboradores e a nossa missão; e apoiar os nossos parceiros e consumidores.

Na Riberalves, a preocupação inicial foi essa, a de salvaguardar ao máximo a proteção de todos aqueles que não podiam entrar em teletrabalho e continuavam a operar diariamente nas nossas fábricas – e eram algumas centenas! Seguindo as indicações das autoridades, procurámos implementar as medidas ajustadas. Salvaguardar a segurança dos nossos colaboradores era, além da mais elementar obrigação, o melhor caminho para que pudéssemos prosseguir a nossa missão, enquanto empresa do sector alimentar e, já agora, especialista na mais apaixonante proteína de consumo português: o bacalhau. Apesar dos enormes desafios, acreditamos que a Riberalves irá continuar a abastecer a cadeia de distribuição, contribuindo para que os cidadãos continuem a ter acesso aos bens alimentares que produz.

 

Reorganização do trabalho e das rotinas

Perante a necessária reorganização do trabalho e das rotinas, de acordo com as normas de proteção necessárias, a resposta dos nossos colaboradores foi simplesmente extraordinária, no compromisso, no espírito de grupo e no empenho demonstrados. As empresas são as pessoas e é em cada uma delas que nasce a capacidade para que nos possamos ajustar. Mais do que numa qualquer ideia genial de reinvenção, acreditamos que somos mais fortes através destes heróis anónimos que, tal como muitos pelo país fora, honraram os mais nobres valores da “Nação valente e imortal”.

Foi com esta força que nos focámos, também, nos nossos parceiros de sempre e nos nossos clientes. Se a empresa são as pessoas, o nosso futuro é o dos nossos parceiros e daqueles que confiam em nós. Da mais pequena loja aos “players” da grande distribuição, procurámos ajustar operações e estratégias, apoiando ao máximo a dinâmica possível. Aqui não existe uma receita para todos, porque cada caso é um caso, com as suas especificidades e complexidades. O que fizemos, e iremos continuar a fazer, é apoiar naquilo que cada parceiro necessitar e no que a Riberalves puder apoiar, com a máxima rapidez e olhando para o futuro. Temos a certeza de que sairemos deste contexto mais unidos e, por isso, mais fortes.

 

Decisão inédita

Por fim, em sequência, mas a título excecional e complementar, montámos uma inédita operação de entrega direta de produto, porta-a-porta, na Grande Lisboa, precisamente para ir ao encontro daqueles consumidores que teriam maiores constrangimentos na mobilidade.

Vencemos o momento? Não. Mas estamos a enfrentá-lo. Vamos ser claros, não existe reinvenção imediata perante uma crise como a que nos foi imposta em consequência do surto pandémico. Tomamos decisões todos os dias e, porque a informação é escassa e dinâmica, por vezes não acertamos. Mas analisamos e corrigimos rapidamente. Vamos procurar continuar a adaptação, antecipando uma mudança em muitos pilares que julgávamos inabaláveis na nossa sociedade. Do ponto de vista económico, além de tudo o que vivemos até agora, aguardamos ainda consequências de gravidade desconhecida, mas que serão necessariamente duras para todos.

Independentemente da capacidade de resposta do Governo, o ano que se avizinha será seguramente, para muitas empresas, o exercício mais difícil da sua história. Na Riberalves, cá estaremos para enfrentá-lo. Com a força das nossas pessoas, aliados aos nossos parceiros e aos nossos clientes.

Ricardo Alves, administrador da Riberalves
Ricardo Alves
Administrador Riberalves S.A.

Pedro Pimentel, diretor geral da Centromarca

Sete janelas para o horizonte pós-Covid 19

João Paulo Peixoto, diretor geral da Staples Portugal

A emergência do teletrabalho como categoria de negócio