in

18% dos portugueses gasta a totalidade do subsídio de férias

Entre os portugueses que não utilizam a totalidade do subsídio de férias com as próprias férias, uma parte significativa reserva o dinheiro para poupanças (41%), para pagar impostos e amortizar créditos (32%) e para a época do regresso às aulas (19%).

De acordo com o Observador Cetelem, que analisou as intenções de consumo dos portugueses para os próximos meses, há também 13% dos inquiridos que recorrem ao subsídio de férias para a compra de vestuário (10%). “É natural que grande parte dos portugueses prefira guardar parte do seu subsídio para fazer face a outras necessidades. Há maior atenção e resguardo face às obrigações anuais, como os impostos ou a compra do material escolar para os filhos”, assegura José Pedro Pinto, Chief Marketing & Sales Officer do Cetelem.

No total, 61% dos portugueses usam o subsídio de férias com gastos relacionados com as férias. Destes, 18% utilizam-no na totalidade, 23% utilizam uma parte significativa e 20% utilizam apenas uma pequena parte. Há ainda um número significativo de portugueses (19%) que referem não receber subsídio de férias. Ainda de acordo com o estudo, quem viaja para o estrangeiro gasta mais do subsídio de férias (73%), comparativamente com 55% dos que o gastam fazendo férias em Portugal (soma de “totalidade” com “metade ou mais”).

Publicidade

Publicidade

Mercado tecnológico britânico sofre as primeiras consequências do Brexit

XS Power Drink com sabor Orange Kumquat