Novas empresas são as que mais crescem

9 NOVEMBRO 2018
As insolvências aumentaram em outubro, com 732 empresas insolventes, mais 83 que no período homólogo de 2017 (12,8%).

O acumulado também apresenta valores acima dos verificados em 2017, com mais 133 insolvências (2,6%).

Até final de outubro, as ações de insolvência requerida diminuíram 1,3%, enquanto as apresentações à insolvência pelas próprias empresas caíram 0,7%. Os encerramentos com plano de insolvência baixaram 33,7% e as declarações de insolvência (conclusão de processos) aumentaram de 2.687, em 2017, para 2.875, em 2018.

Lisboa e Porto mantiveram a liderança, com totais de 1.393 e 1.229 insolvências, respetivamente. No entanto, no comparativo com o ano anterior, Lisboa teve uma diminuição de 1,3% e o Porto aumentou 16,7%. Os decréscimos mais significativos no número de insolvências registaram-se em Leiria (23,2%), Madeira (22,7%) e Évora (16,7%). Os aumentos mais notórios foram, por seu turno, alcançados em Angra do Heroísmo (142,9%), Horta (60%), Guarda (52,3%), Beja (47,6%), Castelo Branco (35,9%) e Faro (23,8%).

Por sectores, apenas cinco, que representam 41,2% das insolvências registadas, têm valores inferiores a 2017: telecomunicações (-44,4%), hotelaria e restauração (-6,4%), construções e obras públicas (-2,9%), comércio a retalho (-2,2%) e transportes (-2%). Dos oito distritos com aumentos, os mais acentuados verificaram-se na indústria extrativa (aumento de 137,5%), agricultura, caça e pesca (20%) e comércio por grosso (16,1%).

Em outubro, houve um aumento nas constituições, que evoluíram de 3.378 empresas, em 2017, para 3.680, em 2018, mais 302 empresas em termos homólogos (8,9%).

No acumulado, registou-se um aumento de 9,9%, para um total de 37.825 novas empresas.

O número mais significativo de constituições verificou-se em Lisboa, com 13.164 empresas, e um aumento de 14,3% face a 2017. No entanto, o maior aumento (20%) aconteceu no distrito de Setúbal, com um total de 2.837 novas constituições. O Porto foi o segundo distrito em valores absolutos, com 6.798 novas empresas, e o terceiro em crescimento (13,5%).

Face ao ano passado há menos empresas constituídas em oito distritos (36,4% do total nacional) que representam 6% do total de constituições em 2018. As descidas mais significativas ocorreram nos distritos de Horta (25,4%), Portalegre (20,3%) e Bragança (13,6%).

Os sectores com maiores aumentos em relação a 2017 foram os transportes (57,1%), indústria extrativa (22,2%) e construções e obras públicas (19,9%). O sector da agricultura, caça e pesca foi o que mais perdeu relativamente ao ano passado (diminuição de 23,2%).